A hipocrisia tem que acabar: ou os jornais brasileiros cumprem a CLT, ou param de defendê-la

A hipocrisia tem que acabar: ou os jornais brasileiros cumprem a CLT, ou param de defendê-la

Em mais um espetáculo de desinformação e cinismo protagonizado pela militância que tomou conta do jornalismo brasileiro, os principais jornais do país distorceram a proposta do governo Temer para que o cidadão possa negociar mais livremente com os empregadores a própria jornada de trabalho. Quando o Ministro do Trabalho tentou esclarecer que não se tratava daquilo, entrou em cena o discurso do “recuo”, uma pecha que já foi desmentida pelo próprio presidente em artigo assinado para o Estadão.

É uma situação tão patética quanto revoltante. Quando se leva em consideração que, salvo raras exceções, os veículos de imprensa no Brasil não conseguem cumprir a atrasadíssima CLT, enganando a fiscalização ao obrigar seus jornalistas a manterem um CNPJ ativo, a hipocrisia salta aos olhos.

Ou os os jornais brasileiro cumprem a CLT que cinicamente defendem, ou param de defendê-la. Do contrário, tudo continuará nesse espetáculo hipócrita que apenas atrasa o Brasil.