Aborto, migrações… Por que a agenda esquerdista só está sendo noticiada após a votação?

Aborto, migrações… Por que a agenda esquerdista só está sendo noticiada após a votação?

Quando o STF mandou às favas qualquer resquício de reputação e deixou os brasileiros atônitos ao salvar a pele de Renan Calheiros, chegou a notícia: a Câmara Federal tinha acabado de aprovar a nova “Lei de Migração”. Como assim?! Estava em discussão uma Lei de Migração?!

Entidades esquerdistas, claro, comemoraram o resultado, pois estaria desburocratizando a entrada de estrangeiros no Brasil. Tudo isso numa época em que imigrantes no mundo todo são flagrados causando graves problemas e conflitos nos países que os recebem.

Por que a imprensa não tratou do tema com a sociedade enquanto ele estava em discussão? Normalmente, pautas do tipo são alavancadas com releases distribuídos aos principais jornais, com argumentos sendo expostos e rebatidos até que a opinião pública se posicione e balize a escolha de seus representantes. Este, contudo, só virou manchete depois de aprovado. E lembra bastante a votação recente do STF, quando perdoou uma clínica clandestina que praticava abortos até o terceiro mês. Quando o povo soube, já estava votado e aprovado.

Será que rola até mais essa agora? De a imprensa boicotar certos temas que serão devidamente emparedados e possivelmente recusados? Tudo em benefício de uma militância que, está mais do que evidente, pouco se importa com a realidade?

Se for, é muito, muito feio!