Campanha da Globo soa “recibo passado” aos protestos das redes sociais

Campanha da Globo soa “recibo passado” aos protestos das redes sociais

É difícil imaginar que a Globo lançaria uma campanha de última hora, mas o próprio jornalismo vem entendendo assim. Afinal, seria coincidência demais um texto com passagens como “uns gostam da gente, uns dizem que não” ir ao ar apenas 15 dias após as redes sociais explodirem em protestos contra a emissora – ou apenas 7 dias depois de a principal adversária veicular uma elogiada matéria questionando se os artistas dessa apoiavam pedófilos.

Conforme destacou Maurício Stycer no UOL, o texto chega a soar irônico em algumas passagens e infla números – para chegar ao público de 100 milhões, precisou somar a audiência online – como quem presta contas com a sociedade. Em outras palavras, fica a sensação de que a emissora “passou recibo” ou “acusou o golpe”.

Coincidência ou não, enquanto este texto é redigido, o Encontro com Fátima Bernardes, tão acostumado em pautar-se por uma agenda esquerdista, promete na edição do dia contar a história de casais que estão juntos há mais de meio século.

Estaria era do “lacre” iniciando um declínio?

1 comentário sobre “Campanha da Globo soa “recibo passado” aos protestos das redes sociais

  1. Globo diz alcançar “100 milhões de pessoas todos os dias”… E somos 207 milhões de brasileiros.
    Só o Jornal nacional alcançava 70 milhões de brasileiros em 1970. E a população era de 95 milhões.
    Tá alcançando bem menos do que gostaria.

Deixe um comentário