Entenda como uma manobra pró-Dilma no Impeachment acabou complicando a vida do PT no TSE

Entenda como uma manobra pró-Dilma no Impeachment acabou complicando a vida do PT no TSE

A vida e suas ironias. Vamos a uma breve recapitulação: quando o Senado Federal votou pelo Impeachment de Dilma Rousseff, o então mediador, Ministro Ricardo Lewandowski, propôs o “fatiamento” do processo em duas frentes. Desse modo, ela poderia ser afastada, mas não perderia seus direitos políticos – algo considerado bisonho por muitos. E assim aconteceu. Dilma foi deposta, mas manteve os direitos políticos.

Voltemos a 2017. Um dos requerimentos da defesa da petista no TSE, na ação que julga a chapa eleita em 2014, é a de que o pedido original teria perdido seu objeto, vez que ela foi impichada. Pois bem: não é verdade.

De todo modo, o requerimento poderia ter alguma sobrevida, mas torna-se incabível diante do fato de que seus direitos políticos foram mantidos.

O destino e suas ironias.