Novos tempos: jovens de 16 a 24 anos são os que menos confiam na imprensa, aponta Datafolha

Novos tempos: jovens de 16 a 24 anos são os que menos confiam na imprensa, aponta Datafolha

Neste domingo, o Datafolha divulgou levantamento sobre a confiança dos brasileiros em algumas instituições. Como falamos mais cedo, a liderança é das Forças Armadas, que são seguidas de longe pela imprensa.

Mas há um outro dado interessante: a confiança na mídia é menor entre os mais novos. Vejam os seguintes gráficos, elaborados com os dados do Datafolha.

Legenda:

Brasileiros em geral:

Mais jovens (16 a 24 anos):

A diferença é bem significativa. Entre os mais jovens, a confiança cai pela metade e a desconfiança sobe mais de 50%.

Há várias explicações, todas elas no campo da estimativa, porém dá levar em consideração o fato de que os mais jovens têm preferido as redes sociais e, justamente por conta disso, são mais resistentes a aceitar qualquer conteúdo sem questionamento.

A nova geração não é mais aquela que fica sentada e passiva diante do noticiário. Em vez disso, os jovens questionam e checam tudo. Nesse processo, muitos invariavelmente descobrem que a imprensa no geral tem viés, às vezes com distorções bem acentuadas.

Deu no que deu.

Como resgatar a confiança? Acabando com esse viés. Farão isso? Apenas quando a nova geração não somente chegar (já está chegando) às redações, mas também dominá-las. Até lá, a rapaziada que coloca a ideologia acima dos fatos continuará fazendo isso, mesmo diante da queda vertiginosa da credibilidade institucional.

Tais números são nova mostra da disparidade entre o mundo real e as bolhas. A “turminha descolada engajada da comunicação” não reflete o povo e, agora segundo mostra o Datafolha, menos ainda os mais jovens.

Como diria um poeta d’antanho: “Evoé, jovens à vista!”