A prova de que o narcotráfico não tem qualquer interesse na legalização

A prova de que o narcotráfico não tem qualquer interesse na legalização

Marcinho VP é tido como a principal liderança do Comando Vermelho. Em outubro de 2017, numa entrevista ao UOL, disse que “o tráfico de drogas não acaba porque financia campanhas políticas no Brasil“. Foi além e comentou que os braços do crime organizado estão entranhados no legislativo, executivo e judiciário. E ainda na liderança de gigantescas corporações, inclusive de multinacionais que terceirizam o serviço sujo – aquele que envolve sangue – ao traficante.

Em outras palavras, entregou que o narcotráfico tem forte poder político para criar leis, executá-las e até mesmo julgá-las.

Há um ponto em que VP concorda com Nem, traficante que, cinco meses depois, concedeu entrevista ao El País: “Se você quer acabar com o tráfico você precisa legalizar as drogas. Quer tirar todo o poder do traficante? É só legalizar.” Logo na manchete, o jornal destacou: “Não me arrependo de ter sido traficante. O que você faria no meu lugar?

O discurso de ambos parece moldado pelo esquerdismo. Assume que cometeram crimes porque a sociedade não havia permitido que comercializassem drogas legalmente.

Ora… O próprio VP reconhecera a força política do narcotráfico. Logo, tem este as devidas condições para trabalhar ao menos a legalização da maconha no Brasil. Para tanto, basta acionar os políticos financiados por eles para que pautas caminhem neste sentido. No entanto, elas caminham apenas para dificultar a vida dos investigadores, e facilitar a dos investigados.

De onde se conclui: o tráfico de drogas não possui qualquer interesse na legalidade. Por ela, recolhe-se impostos e presta-se contas à sociedade. Fora dela, tudo é feito nas sombras com prejuízo exclusivo à base da pirâmide, ou seja, aos pobres que tantas vezes são coagidos a entrarem para o crime.

O olho do esquerdismo brilha ao ouvir o discurso do narcotráfico. Ambos dividem o inimigo comum. E, cada vez mais, o norte moral.

Isso é doentio. Este caminho não leva a nada saudável. E o país já sente os sintomas desta doença há tempos.