A Lava Jato dá prejuízo? Pois R$ 270 mi recuperados de “Esquema Cabral” vão para aposentados

De todas as narrativas estapafúrdias da esquerda, certamente a mais bizarra é aquela segundo a qual a Operação Lava Jato seria um problema para a economia, pois – e aí vem a pérola – o combate à corrupção prejudicaria empresas investidoras e, com isso, tudo ficaria ainda pior.

Sim, muitos disseram isso.

O raciocínio é equivocado e estapafúrdio em várias camadas. Primeiro, por legitimar o trambique; segundo, e igualmente importante, pelos números de fato: há muito dinheiro recuperado e, uma vez saneado o problema, MENOS DINHEIRO PÚBLICO SERÁ DESVIADO E OBRAS CUSTARÃO MENOS, AUMENTANDO A MARGEM DE INVESTIMENTO EM OUTROS SETORES.

É básico, basilar ao extremo, mas é preciso explicar esse tipo de coisa sempre.

E agora mais essa: R$ 270 milhões do esquema do ex-governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, servirão para pagar aposentados. Isso mesmo.

Assim, cerca de 150 mil pessoas poderão receber o abono de forma integral, sendo priorizados aqueles cujos benefícios são em valor mais baixo.

Vamos ver o que a esquerda falará agora.

Gleisi Hoffmann resolveu postar isso, mas a internet não perdoou; confira algumas respostas

As redes sociais ainda pegam políticos de surpresa, digamos assim. Antigamente, mesmo que uma fala fosse equivocada, ou mesmo distorcesse deliberadamente a realidade, os questionamentos eram raros. Quando – e se – muito, alguma notinha sem grande destaque nos jornais.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT/PR) resolveu atacar o governo usando a reforma da previdência. Vejam o post:

Pois bem, mas como os tempos agora são outros, ela acabou recebendo respostas não exatamente positivas. Confiram algumas:

As respostas talvez aludam ao escândalo envolvendo os aposentados, pelo qual a própria senadora e seu marido e ex-ministro de Lula e Dilma, Paulo Bernardo, foram denunciados pela PGR.

Somos favoráveis ao uso democrático das redes, sempre reiterando que também somos contrários a ataques violentos ou à honra.

980 mil servidores aposentados custam mais que as 32,7 milhões de pessoas atendidas pelo INSS

O Brasil precisa rever sua contas, seus gastos, suas despesas. E um dos pilares dessa pauta é o funcionalismo público, que possui um sem-número de regalias atualmente quase sem sentido (como a estabilidade total, a aposentadoria integral e algumas outras). Vejamos, por exemplo, as pensões pagas aos que se aposentam no serviço público.

980 mil servidores recebem pensões que superam aquelas dos 32,7 milhões de trabalhadores “civis” aposentados. Não faz o menor sentido, convenhamos. E, vale lembrar, os dois sistemas – privado e público – estão com as contas desequilibradas atualmente.

É CLARO que os funcionários têm todo direito de receber tais pensões, já que são previstas em lei e eles fizeram jus por meio de seu trabalho honesto. Não devemos culpá-los de forma alguma por essa estrutura arcaica, mas ao mesmo tempo devemos sim repensar e mudar essa mesma estrutura quanto às novas gerações.

previdencia social

Se não, o buraco não terá fim e nos engolirá a todos.

Dilma segura o 13º dos aposentados, mas já recebeu o dela

dilma--

É o cúmulo da desfaçatez: em vez de cortar os próprios excessos, o governo sempre adota medidas de “austeridade” que atingem primeiro o povo. Dessa vez, nem mesmo os aposentados foram poupados, com direito a atraso/adiamento no décimo terceiro.

Ao mesmo tempo, servidores da União (entre os quais estão incluídos Dilma e seus ministros) receberam pontualmente. Seguem trechos da reportagem de Lorenna Rodrigues e Murilo Rodrigues Alves, no Estadão:

“Enquanto seguram a antecipação de metade do 13º salário dos aposentados, a presidente Dilma Rousseff e os ministros da área econômica já receberam, em julho, 50% de suas remunerações extra (…) Na folha de junho, paga em julho, consta o pagamento de R$ 15.467 a título de gratificação natalina para a presidente, de acordo com dados consultados no Portal da Transparência pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.”