França suspeita que aliado de Cabral pagou propina milionária para o Rio virar sede olímpica

Em 29 de setembro de 2009, um milhão e meio de dólares foram transferidos para a empresa do filho de Lamine Diack, membro do COI e presidente da Associação Internacional das Federações de Atletismo. Neste mesmo dia, meio milhão de dólares foram transferidos para a conta de Papa Diack, consultor de marketing da mesma associação.

Toda essa grana saiu de uma empresa de Arthur Soares, que não só prestava serviços ao governo do Rio de Janeiro, como era grande amigo do governador, Sérgio Cabral.

Exatamente três dias depois, o Rio de Janeiro foi escolhido sede olímpica.

O Ministério Público francês viu na transação indícios concretos de que a escolha do Rio de Janeiro como sede olímpica foi em algum nível contaminada pela corrupção.

Na época, o governador de Tóquio, Shintaro Ishihara, já havia alertado: “Eu ouvi dizer que o presidente brasileiro (Lula) veio fazer promessas ousadas aos representantes africanos.”

Sim, Lula e Sérgio Cabral eram aliados.

No Peru, a esquerda ainda tem coragem de criticar a corrupção – e da Odebrecht

A esquerda peruana está revoltada com o escândalo de pagamento de propina a funcionários públicos e convocou um ato contra a corrupção a ocorrer no próximo 16 de fevereiro. A antagonista dessa história os brasileiros conhecem bem. Trata-se da mesma Odebrecht que protagonizou os maiores desvios investigados pela Operação Lava Jato.

O Implicante, contudo, estranha o posicionamento da esquerda contra a corrupção. Mas, claro, por causa da experiência brasileira. Desde 2005, o esquerdismo nacional finge que não chegou ao poder pregando a ética e uma limpa na sujeira dos governos que o antecederam. E hoje resta evidente que apenas aprofundaram as práticas ao ponto de quebrar a economia e sumir com uma década de desenvolvimento do país.

Como no Peru não houve Mensalão, ainda podem se dar a esse luxo. E o Implicante deseja sorte na empreitada. Pois corrupção merece sempre ser combatida. Sempre.

E na Romênia? Onde o governo simplesmente vem tentando descriminalizar… A corrupção?!!!

É isso mesmo que você leu. O governo romeno assinou um decreto descriminalizando casos de corrupção que impliquem em prejuízo de até 44 mil euros – algo próximo dos R$ 150 mil – ao Estado. A população, claro, não aguentou isso calada. E foi às ruas na maior manifestação desde a queda do comunismo.

Para quem não sabe, a Romênia é a nação em que o comunismo se foi de maneira mais sangrenta, findando na morte de Nicolae Ceaușescu, ditador que comandou o país até 1989, e sua esposa.

Percebendo o perigo que corre, Florin Jianu, o atual primeiro ministro, já renunciou. E a Suprema Corte deve revisar a decisão, ou aprovar um referendo sobre o caso.

Que Brasília não importe mais essa safadeza.

Como 61 geladeiras entraram escondidas num presídio? Com muita corrupção

Foto: Rennett Stowe

Em resposta à crise enfrentada no sistema carcerário brasileiro, Michel Temer ordenou que as forças armadas fizessem uma revista mais severa nos presídios mais problemáticos. A primeira varredura se deu em Roraima, na penitenciária em que 33 presidiários foram chacinados no início de 2017. E os números seguem impressionando.

Foram encontrados 6 torradeiras, 9 liquidificadores, 12 aparelhos DVD, 23 fogões, 31 aparelhos de televisão, 56 celulares e, acreditem, 61 geladeiras. Sim, também foram encontradas drogas e armas, além de pólvora e até botijões de gás.

Como foi possível passar toda essa parafernália pela segurança do presídio? Não tenha dúvida: com muita corrupção.

O problema do sistema carcerário não é a superpopulação, nem prisão em excesso, como alega a esquerda. É meramente ético.

PT faz campanha para angariar novos filiados e povo faz piada

Se tá todo mundo numa pindaíba danada, imagine o Partido dos Trabalhadores que perdeu presidência, prefeituras, glória, prestígio, pixulecos (segundo a PF) e amizade com grandes empresários? Alguns deles até estão presos, como é o caso de Marcelo Odebretch.

Muita gente diz que o Brasil tá na lama por culpa deles, você concorda?

Para tentar reverter a situação, o PT tem feito algumas campanhas para angariar novos filiados. Principalmente nas redes sociais, que sai mais em conta.

Só que o povo não perdoa e no mais recente post feito pelo partido para convencer os eleitores a se filiarem à legenda, fizeram um verdadeiro festival de piadas.

Separamos algumas.

Imagem do post divulgado pelo partido. Imagem: reprodução.

E eis os comentários:

Que fase complicada!

Reclame Aqui lança extenção para Chrome que delata a “ficha suja” de políticos

Quem lê tanta notícia? É tanta informação que hoje é difícil separar o joio do trigo. Mas o Reclame Aqui, que fez fama na web ao defender os interesses do consumidor, parece disposto a defender também o do eleitor. E lançou uma extensão para navegadores cujo objetivo é alertar os navegantes se o político citado em qualquer texto tem um currículo limpo ou não.

Trata-se da Vigie Aqui. Ao visitar qualquer link, se houver algum político com passado sujo sendo citado, o nome dele será grifado em roxo, e uma janela salta ao passar o mouse por cima. Dentro da janela, as informações com os problemas que atingem o ficha suja.

As próximas eleições ainda estão longe. Mas muito se fala na antecipação delas. E pode ser uma alternativa bem útil.

Eles prometem atualizar o conteúdo da ferramenta mensalmente. Se for pouco, basta continua ligado no Implicante, atualizado diariamente.

Para instalar a extensão, basta clicar aqui.

Entrevista clássica de Alexandre Garcia mostra que a corrupção rolou solta mesmo na ditadura

Alexandre Garcia já foi emparedado no Twitter por ter trabalhado cobrindo os acontecimentos políticos mesmo durante o período da ditadura. E como se saiu? Corrigindo a informação equivocada publicada pela Associação dos Professores de História. Fato é que se trata de um período obscuro que precisa ser estudado no Brasil com a racionalidade que um tema tão delicado exige.

Porque, até hoje, resta a sensação de que os militares eram vilões, mas os civis que participaram daquele governo seriam mocinhos. No depoimento do vídeo mais acima, percebe-se que os políticos sem qualquer patente militar aprontavam tanto quanto ou mais naquele período.

De fato, o Brasil quebraria na década de 1980 de maneira bem semelhante à ocorrida há pouco com os governos petistas. E tudo fruto de muito lobby entre ricos empresários e políticos sujos que intermediavam toda a sujeira.

Vídeo: na Ucrânia, a população literalmente joga seus políticos corruptos em latas de lixo

Cada país tem a sua forma de lidar com políticos. Há, por exemplo, o modelo francês, que segue parodiado no Brasil, com militantes nas ruas gritando palavras de ordem, assim como o há o britânico, com a atuação da população se dando em distritos de forma bem mais civilizada. Mas não são os únicos. Na Ucrânia, a população vem se acostumando a jogar os seus representantes literalmente em latas de lixo.

O vídeo acima traz uma compilação destes protestos. É bizarro e, claro, engraçado. O ato é violento até o momento em que o gestor público é lançado nos baldes de lixo. Depois, são esquecidos lá para repensarem a própria atuação – ou, quem sabe, a contratação de seguranças particulares.

Sérgio Moro deu uma declaração que deveria ser ensinada nas faculdades de jornalismo do país

09.09.2015 - Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) realiza audiência pública interativa para instruir o PLS 402/2015, que altera o Código de Processo Penal, em relação aos recursos. Em pronunciamento, juiz federal, Sérgio Fernando Moro. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado.

O que Sérgio Moro diz não é nada de outro mundo. Em verdade, não passa do óbvio. Mas o Brasil não é terra de obviedades. E precisou o juiz que arbitra a Lava Jato conceder sua primeira entrevista em dois anos e meio de operação para que o óbvio soasse de forma clara.

Porque o jornalismo brasileiro, em especial o mais desonesto, adora noticiar a Lava Jato como um fator que levou o país à ruína. E o que tem a dizer Sérgio Moro sobre isso? Algo que, com certeza, conta com o apoio dos milhões de brasileiros que foram às ruas pedir o impeachment de Dilma Rousseff:

“O que traz instabilidade é a corrupção e não o enfrentamento da corrupção. O problema não está na cura, mas, sim, na doença. O Brasil pode se orgulhar de estar, dentro da lei, enfrentando seriamente a corrupção. A vergonha está na corrupção, não na aplicação da lei.”

O Implicante assina embaixo.

Numa só tacada, o Ministério Público denunciou 443 ex-deputados federais

Foto: Mario Roberto Duran Ortiz

No longínquo 2009, o Congresso em Foco publicou uma série de reportagens mostrando como os deputados federais faziam um mau uso das passagens aéreas as quais tinham direito. Por lei, os valores deveriam ser usados auxiliando a atividade parlamentar. Mas os congressistas abusavam do recurso para turismo nacional e internacional deles e de pessoas próximas – auxiliares e amigos.

Vergonhosos sete anos depois, o Ministério Público finalmente apresentou denúncia contra os envolvidos. E eles são muitos. Nada menos do que 443 parlamentares. Mas com um detalhe: são todos ex-deputados federais.

Porque o maldito foro privilegiado condiciona à burocracia infinita do STF investigações que atinjam as autoridades ainda em ação no legislativo ou mesmo executivo. E estes enfrentarão prazo ainda maior para um justo entendimento com a Justiça.

Ao todo, os investigadores encontraram indícios de irregularidades na emissão de R$ 70 milhões em passagens áreas. Tudo isso apenas entre 2007 e 2009. Pelo peculato, os denunciados podem pegar até 12 anos de cadeia. Se o crime não prescrever antes, claro.