Não há outro nome: Danilo Gentili é vítima de CENSURA, algo inadmissível numa democracia

A Câmara dos Deputados, um órgão integrante do Estado, Poder Legislativo, promove a mais pura e inadmissível CENSURA contra o humorista Danilo Gentili. Esse é o nome, não há outra denominação. Ponto.

Resumo: o humorista fez uma piada com a deputada Maria do Rosário (PT/RS), ela enviou notificação extrajudicial e ele rasgou o documento e friccionou os pedaços em suas partes íntimas. O ato extremado, propositalmente escalafobético, teve como objetivo óbvio e nítido chamar atenção a um absurdo maior: não é admissível que políticos “notifiquem” humoristas por causa de piada.

E agora, tudo piora, pois a própria Câmara enviou “noticia crime” à Polícia Federal, para que Danilo seja investigado. Um absurdo completo, algo totalmente inadmissível, mas que parte da turma recebe com aplausos por não gostar do humorista.

Trata-se de um pensamento essencialmente tacanho e estrategicamente suicida. Afinal, aberto tal precedente, TODOS OS DEMAIS poderão ser perseguidos por piadas – independentemente de quem sejam os autores do chiste ou os alvos da anedota.

Antes e acima de tudo, é preciso entender que tal precedente coloca nossa própria Democracia, pois tal sistema necessariamente abarca a liberdade de expressão SOBRETUDO quando se trata de críticas e piadas com políticos. Sem isso, somos qualquer outra coisa, menos um regime de fato democrático.

E a ação contra Danilo Gentili tem nome: CENSURA. Chamemos pelo que é.

Danilo Gentili e Maria do Rosário: resposta escrachada chama atenção ao verdadeiro absurdo

Danilo Gentili, apresentador do talk show de maior audiência no país e humorista mais proeminente da atualidade, não é famoso por ser sutil diante dos poderosos. Ao contrário, atira para todo lado, e atira forte, como é próprio do humor (ou deveria ser). Mas sigamos.

Ele segue uma linha iconoclasta que em alguns momentos lembra Andy Kaufman. E este episódio tem muito a ver com algumas atitudes polêmicas do saudoso norte-americano, cujos “absurdos” quase sempre serviam para chamar atenção a absurdos maiores.

Sim, Gentili recebeu uma intimação, rasgou-a e friccionou os pedaços de papel em suas partes situadas abaixo da linha da cintura, depois reunindo os fragmentos e os reenviando à remetente original. Um absurdo, não é mesmo?

Sim, mas simbólico. E para chamar atenção ao absurdo de fato; o absurdo maior.

Tal intimação foi enviada por uma pessoa que exerce mandato no legislativo, titular de uma das Casas que compõem Poder (função) da República. O grande ponto fora da curva, portanto, é uma deputada intimar um humorista por posts piadísticos numa rede social.

Há indício de crime? Que se use a via adequada para isso. Há hipótese de dano moral a ser reparado? Idem. E tal via é o Judiciário, não a própria Câmara dos Deputados. Se a via judicial já soaria esquisita em caso de mera piada, o uso da casa legislativa para isso é algo até mesmo inacreditável.

A seguir, o vídeo de Gentili, voltamos depois:

Parece que o post polêmico seria este:

Uma brincadeira óbvia, provavelmente aludindo às explicações esquerdistas para quando algo dá ruim para o lado deles. Exemplo recente: depois que Lula usou a expressão “grelo duro”, em fala nitidamente depreciativa, não faltou gente dizendo que seria expressão regional corrente (não era, claro).

A reação da parlamentar foi intimar o humorista por meio da Câmara dos Deputados. E o humorista, chamando atenção para esse grande absurdo, fez uma “performance” (não é assim que eles chamam a coisa?). Nada além.

Em resumo: numa democracia, humoristas sacaneiam políticos e políticos sacaneados não os intimam por conta disso.

Quem vê a resposta escrachada como inaceitável, ignorando a gravidade extrema do ato inicial censório, convenhamos, não tem a menor ideia do que seja uma democracia. Ou, pior (e não improvável), talvez prefira de fato outros sistemas menos livres.

Danilo Gentili faz comentário definitivo sobre as novas denúncias

Segue o post, já voltamos:

É isso. Esquerdistas, que até então se recusavam a aceitar delações, agora as aceitam imediatamente. Também não admitiam que presidente da república fosse alvo de gravação, e mudaram mais esse entendimento. Já o outro lado de forma alguma chamou de “golpe” ou tomou as ruas para dizer que era perseguição.

Danilo sintetizou a diferença.

Nova Miss EUA, cientista nuclear é hostilizada por ser contra o feminismo e o Obamacare

Esse é um daqueles casos que tendem a embatucar o militante online da “justiça social”. Isso porque, no geral, costumam compartimentar pessoas em grupos e, desse modo, os que escapam da determinação ideológica são sempre tratados de forma hostil. Exemplo notório: Fernando Holiday, do MBL e vereador paulistano, de quando em vez é chamado de “Capitão do Mato” por ser negro e contrário a políticas esquerdistas.

Kara McCullough, que neste domingo foi coroada Miss Estados Unidos, passa por situação similar. Em seu discurso, deu opiniões contrárias ao Obamacare (sistema de saúde pública ‘gratuita’ implantado por Barack Obama) e ao feminismo, e isso desagradou à esquerda. Ela, que tem licenciatura em química e trabalha na Comissão Reguladora Nuclear, nos EUA, enfrentou hostilidades.

Danilo Gentili relatou o caso em três posts:

Infelizmente, o fato é mesmo corriqueiro. O coletivismo esquerdista é cego para os indivíduos; as pessoas, como tais, inexistem. Todos são apenas grupos e devem ter comportamentos adequados àqueles aos quais pertencem. Os que desafiam isso não recebem tratamento delicado.

Juliana Oliveira, humorista do “The Noite”, desmente acusação contra Danilo Gentili

Essa é daquelas. Vamos por partes: Danilo Gentili postou uma foto em seu perfil, ao lado da humorista Juliana Oliveira e segurando um ovo de páscoa. Fez uma piada e, claro, começaram os ataques de sempre.

Desta vez, porém, a coisa teve vida curta. Isso porque a própria Juliana, que também integra o programa “The Noite”, esclareceu o caso: a ideia da foto foi dela.

Confiram o post:

Pois é.

Silvio Santos não “enquadrou” Danilo Gentili e Rachel Sheherazade. Só fez o de sempre: piada

Se alguém tem dúvida do que seja a tal “pós-verdade”, esse é um caso emblemático. Em suma: determinado fato acontece e, mesmo sem “ter sido o que foi”, é relatado – sobretudo em determinado grupo – como sendo aquilo que gostariam que fosse.

Pois é. Como quando vemos um amigo batendo boca com desconhecido, o amigo infelizmente não tem razão, mas ainda assim, depois, o grupo em alguns casos confirma “é isso aí, mandou bem” – bobagem, mandou mal, mas é amigo e não precisa alongar muito a história. Segue a vida.

Foi mais ou menos o que houve nas “chamadas” de Silvio Santos a Danilo Gentili e Rachel Sheherazade. Segundo relatos, borbulhados de forma entusiasmada justamente entre esquerdistas, os dois apresentadores teriam levado broncas homéricas. Bobagem.

Silvio Santos – e ter de ressaltar isso, a esta altura, chega a ser bisonho – faz brincadeiras às vezes “além da conta”. É seu jeito. Ele sempre foi assim, não começou agora. Um traço que marca sua carreira. Desse modo, basta ver o vídeo a seguir, compartilhado por um internauta, e também extraído do Troféu Imprensa:

Não seria idiota divulgarem algo como “Fernando Collor e Dilma Rousseff serão contratados pelo SBT“? Pois é o mesmo grau de ridículo divulgar como “chamadas” as piadas e brincadeiras que fez com Danilo Gentili e Rachel Sheherazade.

Aliás, a manchete seria outra, essa sim verdadeira, mas que curiosamente nenhum veículo deu: ele confessou sofrer pressões políticas para demitir Danilo Gentili. Mas Danilo tem o “azar” de não ser a esquerda, de modo que não recebe o apoio que qualquer outro teria.

Nada de novo.

ps – sobre pós-verdade, recomendamos este artigo de nosso colunista Fernando Gouveia, referente à palestra que dera na Campus Party Brasil.

Vídeo: Silvio Santos admite que pedem a demissão de Danilo Gentili por razões políticas

Na entrega do Troféu Imprensa, em tom de brincadeira e em meio a piadas, Silvio Santos fez um alerta um tanto inquietante, sobretudo em tempos de democracia e liberdade de expressão. Ainda que ironize o fato, ele confessa: pedem a demissão de Danilo Gentili. E por motivos políticos.

Confiram o vídeo, editado pelo blog Teleguiado:


The Noite no Troféu Imprensa por teleguiadovox

Verdadeiro decano da televisão brasileira e empresário habilidoso, Silvio Santos certamente não contará quem faz tais pedidos. Ou então, já numa fase sem papas na língua, talvez um dia fale.

Enquanto isso, Danilo Gentili se mantém não por questões políticas (tema, aliás, que ele tem todo o direito de abordar onde quiser), mas sim pelo talento em produzir um programa líder de audiência. Talvez seja isso que mais irrite os esquerdistas: ele não se mantém por “amiguismo”, mas por dar resultados positivos.

Parabéns ao Danilo!

Lula perdeu o prazo para entrar com queixa-crime contra Danilo Gentili

Em 31 de julho de 2015, Danilo Gentili soltou uma piada com o Instituto Lula no Twitter. Agora, o Ministério Público quer que o humorista explique a piada.

O apresentador do SBT falou ao Antagonista: trata-se de uma declaração tão antiga que ele já nem mais lembrava. Mas destacou que, desta vez, o ex-presidente não poderá entrar com queixa-crime contra ele (o expediente que vinha sendo explorado contra jornalistas). Motivo: o prazo estourou.

Não está fácil para Lula mesmo.

 

A ESPN rescindiu o contrato do jornalista que repudiou a visita de Danilo Gentili à emissora

Em 24 de maio, Danilo Gentili foi convidado do programa “Bate-Bola Debate”, da ESPN. Dias depois, José Trajano, fazendo-se de voz de um grupo de funcionários da emissora, repudiou a presença do humorista alegando apoio à campanha pelo fim da “cultura do estupro”. E assim se pronunciou:

“Porque o canal abrigou esta semana um personagem engraçadinho, que se porta como um sujeito que faz apologia do estupro. Em nome do humor, dizendo que no humor cabe tudo. Esse grupo ficou enojado com a presença dele”.

Na época, Trajano fazia referência a uma piada – de mau gosto, é verdade – feita anos antes por Gentili, quando o politicamente dominava menos os meios de comunicação e o humor negro podia ser mais explorado.

Extremamente defensor do governo Dilma, Trajano se permitia até mesmo usando agasalho de Cuba, aquela ditadura socialista que esquerdistas adoram.

Meses depois, finalizado setembro, a ESPN rescindiu o contrato do jornalista sem dar muitas explicações. Não sem antes o Brasil ter se livrado definitivamente da Presidência de Dilma Rousseff.

Enquanto isso, Danilo Gentili continua liderando a audiência no SBT.

Em vídeo, o autor do Escola Sem Partido defende seu ponto de vista para Danilo Gentili

Miguel Nagib é o advogado que, há mais de 10 anos, deu início ao Escola Sem Partido, projeto que visa a tirar da sala de aula a doutrinação ideológica e partidária que recruta estudantes para suas causas. Sim, é um projeto polêmico, mas não seria proposto se algo muito estranho não estivesse acontecendo – há tempos, diga-se – no ensino brasileiro.

Em entrevista a Danilo Gentili, o autor da ideia defende seu ponto de vista e tenta explicar os pontos mais confusos e polêmicos. De acordo com Nagib, e ao contrário do que apontam os críticos da ideia, o Escola Sem Partido não censura nada, mas obriga o professor a apresentar os principais pontos de vista sobre os assuntos estudados, independente de qualquer juízo de valor.

Para conferir como foi o papo, basta acionar o player acima.