Confira 38 nomes dos mais de 170 políticos que surgiram na segunda “lista de Janot”

A Globo já dá como certa a citação de pelo menos 170 nomes na segunda “lista de Janot”, dessa vez baseada nas delações da Odebrecht para a operação Lava Jato. São autoridades que têm ou já tiveram em algum momento foro privilegiado.

Deste grupo maior, a emissora já confirmou um total de 38. E, ao que tudo indica, seguirá o mesma rotina de verões passados: a cada nova edição do Jornal Nacional, um novo punhado de autoridades é revelado de forma a deixar o assunto sempre em pauta.

O Implicante resume abaixo os 38 nomes já conhecidos:

DEM

  1. José Carlos Aleluia
  2. Rodrigo Maia

PMDB

  1. Edison Lobão
  2. Eduardo Cunha
  3. Eliseu Padilha
  4. Eunício Oliveira
  5. Geddel Vieira Lima
  6. Lúcio Vieira Lima
  7. Luiz Fernando Pezão
  8. Marta Suplicy
  9. Moreira Franco
  10. Paulo Skaf
  11. Renan Calheiros
  12. Renan Filho
  13. Romero Jucá
  14. Sérgio Cabral

PRB

  1. Marco Pereira

PSB

  1. Lídice da Mata

PSD

  1. Gilberto Kassab

PSDB

  1. Aécio Neves
  2. Aloysio Nunes
  3. Beto Richa
  4. Bruno Araújo
  5. Duarte Nogueira
  6. José Serra

PT

  1. Andres Sanchez
  2. Antonio Palocci
  3. Dilma Rousseff
  4. Edinho Silva
  5. Fernando Pimentel
  6. Guido Mantega
  7. Jorge Viana
  8. Lindbergh Farias
  9. Luiz Inácio Lula da Silva
  10. Marco Maia
  11. Tião Viana

PTB

  1. Paes Landim

Sem partido

  1. Anderson Dornelles

Ministro de Dilma joga a culpa da corrupção petista em reprodução de “erros da sociedade”

Foto: Elza Fiúza/ABr

Edinho Silva é o ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. Em outras palavras, a missão dele é trabalhar para que a imagem de Dilma não seja abalada na imprensa. Em encontro com empresários, Silva jogou na sociedade a culpa pela corrupção petista: “Evidente que tivemos erros, como penso que outros partidos também cometeram erros. As instituições são reflexos da sociedade. O PT reproduziu erros que são erros da sociedade.

Foto: Elza Fiúza/ABr
Edinho Silva | Foto: Elza Fiúza/ABr

https://ift.tt/1QJCXVf

CPI deve convocar Dirceu, Palocci, Mercadante e Edinho Silva

Dirceu e Palocci
Dirceu e Palocci

A informação é de Natuza Néry, no Painel da Folha (trecho a seguir):

Na volta do recesso, a CPI da Petrobras foi instruída a votar todos os requerimentos que estão na gaveta. As convocações dos ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Edinho Silva (Secom) são dadas como certas pela cúpula da comissão. Na mesma leva estão os depoimentos dos ex-ministros Antonio Palocci e José Dirceu. Na avaliação de setores do governo, será uma missão quase impossível barrar a articulação costurada para constranger o Palácio do Planalto e o PT.

Trata-se de uma lista de “respeito”: José Dirceu, atualmente condenado pelo Mensalão e cumprindo pena em regime aberto, já foi Presidente do PT e Ministro Chefe da Casa-Civil. Palocci foi ministro de Lula (Fazenda) e Dilma (Casa-Civil). Mercadante e Edinho, já citados em delações premiadas, são atualmente ministros – Casa-Civil e Comunicação Social, respectivamente.

Governo e PT temem a convocação de Mercadante e Edinho por CPI

Mercadante e Dilma

Aloízio Mercadante, Ministro-Chefe da Casa Civil e Edinho Silva, Comunicação Social, foram citados na delação de Ricardo Pessoa, da UTC. Eles teriam recebido propinas em forma de doações de campanha. O Painel da Folha, hoje, publica a seguinte nota:

Uma das preocupações imediatas do Planalto e do PT é que a CPI da Petrobras aproveite a fragilidade do governo para convocar os ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Edinho Silva (Secom), citados na delação premiada do empreiteiro Ricardo Pessoa. Se votar, passa, disseram, em jogral, dois membros da cúpula da comissão nesta segunda-feira. Embora o alarme tenha soado, o governo ainda não acionou a tropa para evitar novo desastre após a inquirição de Paulo Okamotto.”

Se essas convocações preocupam e aterrorizam o governo e o PT, então todos devemos ser favoráveis e pressionar para que elas aconteçam. CPI, convoque os dois!