A preocupação com o lobby pedófilo não é uma pauta local, mas mundial

Não é só no Brasil que a opinião pública anda cada vez mais preocupada com o lobby político da pedofilia. Legendado pelos Tradutores de Direita, o vídeo acima traz Paul Joseph Watson, por quase 14 minutos, enumerando casos em que pedófilos ou suspeitos teriam se infiltrado em organizações ou grupos de influência para cometerem suas barbaridades.

Os casos não são detalhados porque este não é o propósito da compilação. Lá, Watson queria provar que há razão em tanta preocupação. E olha que ele nem chega a citar – por motivos óbvios – os casos já investigados envolvendo instituições católicas.

O Implicante, por sua vez, acha por bem reverberar este conteúdo para que fique claro que o debate não é fruto de nenhuma histeria local, mas sim algo que vem rodando o mundo e não estaria tão em evidência se não fizesse sentido.

Entrevista clássica de Alexandre Garcia mostra que a corrupção rolou solta mesmo na ditadura

Alexandre Garcia já foi emparedado no Twitter por ter trabalhado cobrindo os acontecimentos políticos mesmo durante o período da ditadura. E como se saiu? Corrigindo a informação equivocada publicada pela Associação dos Professores de História. Fato é que se trata de um período obscuro que precisa ser estudado no Brasil com a racionalidade que um tema tão delicado exige.

Porque, até hoje, resta a sensação de que os militares eram vilões, mas os civis que participaram daquele governo seriam mocinhos. No depoimento do vídeo mais acima, percebe-se que os políticos sem qualquer patente militar aprontavam tanto quanto ou mais naquele período.

De fato, o Brasil quebraria na década de 1980 de maneira bem semelhante à ocorrida há pouco com os governos petistas. E tudo fruto de muito lobby entre ricos empresários e políticos sujos que intermediavam toda a sujeira.

Após suposta propina a Renan, empreiteira viu contratos com a Petrobras crescerem 584%

19.08.2015 - Presidente do senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), concede entrevista. Foto: Jane de Araújo/Agência Senado.

Esse detalhe foi muito bem observado pelo Antagonista na denúncia apresentada por Rodrigo Janot contra Renan Calheiros. Entre 2003 e 2009, a Serveng, empreiteira que teria pago R$ 800 mil em propina ao senador, somou R$ 51 milhões em contratos com a Petrobras. Isso equivale a uma média de R$ 7,2 milhões por ano.

Uma vez paga a propina, os contratos da empreiteira com a estatal saltaram para R$ 197 milhões em quatro anos. A média subiu para 49,25 milhões por ano, um crescimento de 584%.

Os números escancaram o absurdo chamado Brasil. E explicam o porquê de empresas como Odebrecht terem um setor inteiro dedicado a relações criminosas com governos.

Documentos mostram como Lula ajudou os homens que destruíram a Venezuela

30.09.2005 - Hugo Chávez e Lula. Foto: Agência Brasil.

Ter acabado com a economia brasileira já seria péssimo para o currículo da esquerda neste século. Mas o estrago na Venezuela foi muito maior. O país vive uma tragédia humanitária com direito a refugiados em fuga para o Brasil.

Documentos obtidos pela Veja mostram como Lula teve participação ativa na reeleição de Hugo Chávez, o presidente que legou o ditador Nicolás Maduro aos venezuelanos. Meses após a eleição de Dilma, o petista atuou junto ao embaixador venezuelano para encaixar João Santana, marketeiro do PT, na campanha que conseguiria mais um mandato para o chavismo.

Já há notícias de que OAS e Odebrecht arcaram clandestinamente com as despesas de campanha dos chavistas. Se um ponto estiver ligado ao outro, e Lula já é réu por lobby feito em benefício da segunda em Angola, a coisa só vai se complicar ainda mais para o lado dele.

As cenas dos próximos capítulos prometem.

É inadmissível que Lewandowski esteja usando o impeachment para aumentar o próprio salário

O jornalismo político vem soltando em notas há tempos. Mas agora a Folha foi mais explícita: “Lewandowski faz lobby enquanto lidera sessão do impeachment“. Que tipo de lobby? Ele quer o aumento de salário para os ministros do STF, que já recebem R$ 33,7 mil todo mês, mas passariam a receber R$ 39,2 mil. Pior: faz isso em pleno julgamento do processo de impeachment de Dilma Rousseff, com direito a ligações para os senadores em conversas que jura serem meramente republicanas.

Mais ainda, incomoda o silêncio dos demais membros do STF quanto ao absurdo. É um tribunal que acredita ser dono do Brasil e com poderes para mandar e desmandar independente do que limita a Constituição que deveria proteger.

Esse reajuste simplesmente não pode passar. Porque gerará um efeito em cascata beneficiando uma categoria elitizada em prejuízo da economia do país, ou seja, das camadas mais pobres da população que já não têm reservas para suportar a miséria atual.

O bola do STF precisa baixar urgentemente. Em especial a de Lewandowski.

A Odebrecht deu propina de R$ 100 milhões aos governos Lula e Dilma em troca de “benefícios”

O PT criava dificuldades para vender facilidades. É essa a sensação ao tomar conhecimento de parte da delação da Odebrecht para a operação Lava Jato. Segundos os executivos, a empreiteira pagou em torno de R$ 100 milhões em propina ao PT enquanto Lula e Dilma Rousseff presidiam o Brasil. Em troca, queria que o Governo Federal aprovasse projetos de interesse da construtora.

Guido Mantega, o ministro da Fazenda a passar mais tempo no cargo, seria a pessoa a intermediar a negociação com a Odebrecht. O petista nega. Mas os executivos alegam ter emails que comprovam todo o lobby, assim como contas no exterior que seriam usadas para os repasses.

É das acusações mais graves feitas contra o PT. Em se comprovando, justificaria até mesmo a cassação de registro do partido.

Delatores dizem que Lula fez lobby na Venezuela em troca de milhões de dólares para o PT

Quando ainda era presidente, Lula fez lobby em benefício da Andrade Gutierrez junto ao governo venezuelano comandado por Hugo Chávez. A história foi contada por Rogério Nora de Sá e Flávio Gomes Machado Filho, presidente e executivo da construtora. Em pauta, uma siderúrgica até hoje em obras ao custo de US$ 1,8 bilhão, dos quais US$ 865,4 milhões saíram do BNDES, onde o petista tinha ainda mais influência.

Mas a história fica pior. Pagamentos feitos, João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, entraria em contato com os empreiteiros para receber a propina de 1% que caberia ao partido. Ou seja… Em valores da época, Lula pode ter conquistado para os cofres da sigla algo próximo dos R$ 15 milhões.

Tudo isso num país que hoje é tido por ditadura sob qualquer leitura menos ideologizada.

O PT já foi tarde. Tarde até demais.

 

“Não sabia” de novo: Lula disse que não fora informado da relação de filho com lobista

Ricardo Stuckert/Presidência da República

Lula mais uma vez tenta sair da sinuca com um “não sabia”. Em depoimento dado à operação Zelotes, o ex-presidente disse que não fora informado de que o próprio filho havia sido contratado pelo lobista Mauro Marcondes por R$ 2,5 milhões. A investigação busca esclarecer a suspeita de que medidas provisórias foram negociadas com lobistas em benefício do caçula do petista.

Ao ser confrontado com mensagem apreendida que dizia que “A MP foi combinada entre o pessoal da Fiat, o presidente Lula e o governador Eduardo Campos (morto em 2014)”, o ex-presidente afimou: “Combinação nesse tipo é coisa de bandido”.

lula lava jato

Não dá para dizer que, ao menos nesse último trecho, Lula faltou com a verdade. É mesmo coisa de bandido. Mas dizer isso não o faz menos suspeito.

Advogado de Bumlai, o amigo de Lula, faz piada em defesa entregue à Lava Jato

Bumlai é acusado de ter tomado um empréstimo de R$ 12 milhões junto ao banco Schahin, quantia esta que, confessou o próprio amigo de Lula, foi repassada ao PT. Mas o pecuarista é também acusado de fazer lobby para que o banco obtivesse um contrato de R$ 1,6 bilhão com a Petrobras. Ao negar a segunda acusação, o advogado Arnaldo Malheiros faz piada na defesa entregue à Lava Jato:

“Na verdade, o crime é ser amigo de Lula e, pasme, existe até fotografia de ambos numa festa junina, tornando irretorquível a consumação do delito do art. 362 do Código Penal.”

Lula e Bumlai (circulado) dançando quadrilha.
Lula e Bumlai (circulado) dançando quadrilha.

Onde está a piada? O código só possui 361 artigos.

Malheiros deve ter esquecido que quem ri por último ri melhor.

Medida Provisória “vendida” no governo Lula foi aprovada em “votação simbólica”

Foto: Ricardo Stuckert/PR

Quem acompanha as votações na Câmara sabe como as votações simbólicas se dão: o presidente da casa pede para que todos os que concordam com a provação “permaneçam como se encontram“. Meio segundo depois, após ninguém se pronunciar, bate-se o martelo: “Aprovada!” Segundo a Veja, foi desta forma que aprovaram a medida provisória suspeita de ter sido vendida por lobistas no governo Lula ao custo de R$ 36 milhões. De acordo com a denúncia, empresas automobilísticas queriam com ela prorrogar incentivos fiscais de 2011 a 2015 nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. A revista também destaca que essa MP foi transformada em lei sem qualquer alteração após ajustes do governo, algo raro no Brasil.

Foto: Ricardo Stuckert/PR
Leia também | Dólar alto faz Petrobras cortar mais de R$ 40 bilhões em investimentos