Análise: nova pesquisa confirma declínio da velha política e dá fôlego a “novatos”

O DataPoder360, do portal Poder360, divulgou hoje pesquisa nacional de intenção de voto para a Presidência da República, e a comentamos sob alguns aspectos. O mais significativo deles, que emite mensagem bem objetiva sobre o comportamento do eleitorado, diz respeito às rejeições.

E os mais rejeitados são aqueles da “velha política”; os menos, presumivelmente, são os “novatos”. Estes seriam Jair Bolsonaro e João Doria, que também se destacam pelas plataformas – cada qual a seu jeito – contrárias ao que prega a esquerda, especialmente o petismo.

Considerando a situação atual, a miríade de denúncias e a quantidade altíssima de políticos e partidos citados, a aposta num “outsider” passa a ganhar força. Os números, agora, endossam essa tendência.

Claro que ainda é cedo. Outros nomes podem ser apresentados, o contexto anti-política pode ser revertido, entre diversas hipóteses. Mas o provável, convenhamos, é que a coisa se acentue ainda mais nesse sentido, com processos avançando e atingindo mais atores políticos.

Certamente, os partidos estão de olho nisso. Menos a esquerda, que insiste nas figuras de sempre.

Análise: soltura de José Dirceu fortalece ainda mais os candidatos “anti-política” para 2018

A decisão do STF de acatar o habeas corpus de José Dirceu tem como resultado prático um grande otimismo por parte da classe política. Afinal, a corte mudou o entendimento sobre prisões preventivas e, desse modo, muitos respirarão aliviados, independentemente do partido.

Mas no povo, por óbvio, a reação é oposta. Indignação extremada, fazendo com que a velha política e seus ícones “tradicionais” sejam ainda mais repudiados. Desse modo, o clima já suficientemente disseminado passa a ficar ainda mais intenso.

Quanto aos políticos, o alívio inicial dará vez ao desespero eleitoral, mas eles são antes de tudo animais de matilha e, desta feita, priorizam a sobrevivência. Só depois dela é que traçariam e traçarão qualquer plano de prazo maior. Portanto, sabem dos riscos para 2018, mas antes isso do que serem presos.

E o caminho, que já estava aberto, agora escancara-se como avenida aos “outsiders”.

Quem tiver o discurso mais eficiente nesse sentido, contrariando a “velha política” e batendo em todo o sistema, podem apostar, terá mais chances. Se de fato começar a onda de solturas e contestações das prisões preventivas, a avenida escancarada se tornará uma rodovia gigantesca.

Um candidato fora disso, e também contra isso, nadará de braçadas na opinião pública.