Já notaram que, depois do resultado das eleições, ninguém fala mais em “país dividido”?

A “falácia do país dividido” já foi desmascarada por aqui. Era uma conversa mole da pior qualidade, mas ainda assim a toda hora aparecia na grande imprensa. Uma manifestação levava milhões às ruas, a outra punha no máximo 10 mil, mas ainda assim falavam que havia uma DIVISÃO.

Mesmo na antevéspera do primeiro turno, já com as intenções de voto mostrando que a esquerda seria varrida do mapa, ainda havia quem relembrasse a tese.

Pois agora, quando finalmente não há mais para onde correr, e o resultado eleitoral DESAVERMELHOU o Brasil (vejam a foto que ilustra este post, as cidades em tons avermelhados são prefeituras sob partidos de esquerda), a tese sumiu.

Mas nós estamos aqui para lembrar dela e reiterar que, sim, ERA FURADÍSSIMA. O Brasil não estava e tanto menos estaria agora “dividido”. O resultado eleitoral não poderia ser mais claro, cristalino, objetivo e evidente: os partidos de esquerda foram repudiados. E quem insistiu na ladainha de “golpe” perdeu muitos votos.

Vale lembrar outra tese igualmente sumida: a “antecipação de eleições”, as novas “diretas já”. Depois do sopapo eleitoral, pararam com isso na mesma hora.

ps – a imagem deste post é do G1, com dados do TSE.

Quem fez de tudo para dividir o país, agora reclama que ele está dividido

Passaram a campanha eleitoral inteira reforçando as divisões entre o povo. Quem não votasse neles, era contra pobres. Contra direitos, contra os desfavorecidos. Os adversários acabariam com os programas sociais (os mesmos que foram cortados na carne pelo próprio governo por conta da crise que ele mesmo criou).

Forçavam uma divisão já antes das eleições, mas foi nelas que a coisa chegou a um nível absurdo. Colocaram povo contra povo para ganhar. Ganharam.

E agora reclamam que o país está dividido. Mas por que reclamam? Porque, agora, a divisão é ruim para eles. Bem ruim. Apenas 1 em cada 10 pessoas apoia este governo.

ps – já tratamos aqui da falácia de que o país estaria ‘dividido’, da forma como eles pregam

A lorota do “país dividido”

A narrativa já estava pronta antes mesmo da sexta-feira: diriam, qualquer que fosse o resultado da manifestação pró-governo, que o país estaria “dividido”. Mas deu errado. Na verdade, deu absurdamente errado. Isso porque a manifestação contrária foi TREZE VEZES maior. E isso não é opinião ou achismo, mas sim um dado concreto.

Desse modo, fica patético dizer que o país está “dividido”, no sentido de haver forças equilibradas para cada lado. Mentira. A imensa e esmagadora maioria está CONTRA o governo. Ainda mais quando se considera, por exemplo, que nas manifestações pró-Dilma-Lula-PT havia, só na Paulista, 15% de funcionários públicos e a grande maioria ganhava muito bem – segundo o padrão do país.

O povo, mesmo, está contra. Totalmente contra. Basta inserir os dados num gráfico para atestar o tamanho da discrepância.

20160320084908

É assim que está o país hoje. Dividido? Talvez, mas um lado é 13 vezes maior que o outro. Sim, o número cabalístico.