Gestão Doria: Cisco doa equipamentos usados na Olimpíada para escolas públicas de SP

A empresa Cisco, gigante da tecnologia, doou à Prefeitura de São Paulo equipamentos de informática usados nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Eles serão usados em escolas públicas municipais.

Seguem trechos da nota divulgada pela empresa:

“Como parte da estratégia da empresa e esforços contínuos de estímulo à inovação, transformação digital e apoio à educação no País, a Cisco, líder mundial em tecnologia, anuncia sua intenção de doação de parte dos equipamentos utilizados na realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, à cidade de São Paulo. Os equipamentos serão utilizados na transformação digital das escolas públicas e laboratórios educacionais (…) Segundo a prefeitura, esta iniciativa impactará positivamente mais de 1.000 escolas, 640 mil estudantes e 46 mil professores da rede de ensino da cidade de São Paulo. O apoio de grandes empresas do setor de tecnologia, como a Cisco, é extremamente relevante para que sejam atingidos objetivos traçados para a modernização da educação no município de São Paulo” (grifamos)

A doação, que inclui servidores, roteadores, switchers e afins, beneficiará 1065 unidades de ensino (um terço da rede). O valor total, de impressionantes R$ 300 milhões, é o maior até agora recebido.

Preocupado com os valores também altos para instalação e manutenção, João Doria destacou o presidente da SP Negócios, Juan Quirós, para encontrar empresas para firmar parcerias nesse sentido, em até 60 dias.

Gestão Doria: parceria com Uber e 99 garante transporte grátis a servidores na Greve Geral

Já se tornaram rotina as parcerias da gestão de João Doria com o setor privado, sem a exigência de contrapartida financeira e garantindo às empresas uma boa visibilidade. Mas esta de agora é pra lá de inusitada. E também muito boa.

Nesta sexta-feira, diante da Greve Geral, o transporte dos funcionários públicos municipais estará garantido, e será gratuito.

Isso por conta de pareceria firmada com a Uber e a 99.

Gestão Doria já conseguiu R$ 285 milhões nas parcerias, veja os cinco maiores doadores

O prefeito de São Paulo, João Doria, divulgou em suas redes e também no portal municipal da transparência, a lista das doações recebidas por meio das parcerias com empresas privadas, uma das marcas de sua gestão.

Confiram a seguir as cinco maiores doadoras.

Qatar Airways: R$ 20 milhões

A empresa aérea do Catar atuará na conservação de áreas verdes e pontes das marginais (Tietê e Pinheiros)

Sinduscon-SP: R$ 20 milhões

O Sindicato da Construção de São Paulo erguerá um “Espaço Vida”, destinado a moradores de rua, com módulos individuais e espaço para carroças.

Microsoft: R$ 15 milhões

A gigante norte-americana fornecerá softwares, promoverá capacitação de estudantes e professores da rede municipal em tecnologia e contribuirá para a implantação dos LEDs (Laboratórios de Educação Digital) nas escolas.

ABIA: R$ 12 milhões

A Associação Brasileira de Indústria de Alimentação fornecerá alimentos para diversos centros da prefeitura.

BRF: R$ 12 milhões

O grupo fornecerá alimentos para o “Espaço Vida”, no total de 20 toneladas mensais.

E o que elas ganham com isso?

Sempre que alguém pergunta, e a esta altura indagam isso já por pura má-fé, é importante responder: ganham com propaganda, boa visibilidade etc. Tais parcerias são anunciadas nos grandes veículos e são vistas/acompanhadas pelos próprios cidadãos atendidos. E o valor, de fato altíssimo quando visto de forma absoluta, é ainda assim o que gastariam com propaganda, sem o retorno conquistado com as parcerias. Tratamos do tema aqui.

É isso.

Gestão Doria: nova parceria com empresas privadas será na área da Segurança Pública

É sabido que a Segurança Pública se insere nas prerrogativas dos governos estaduais e, em determinados aspectos e atribuições, também ao federal. Porém, é sim possível que as prefeituras colaborem, por meio de medidas acessórias (iluminação de vias, câmeras de segurança), ou com o reforço das guardas civis municipais, às quais cabem vigiar áreas e prédios da municipalidade.

Nesse sentido, João Doria busca parcerias com empresas também nessa área.

A ideia inicial é integrar as imagens de câmeras privadas ao sistema de segurança da cidade. Mas há várias outras possibilidades, como equipamentos para a GCM, entre tantas coisas.

Aguardemos. Porque sem dúvida a Segurança Pública é das áreas mais problemáticas do país.

Parcerias internacionais: depois de Abu Dhabi, João Doria agora vai pra Seul

Acompanhado do Secretário de Transporte, Servio Avelleda, o prefeito de São Paulo, João Doria, viajou para Seul (Coreia do Sul) em busca de parcerias na mobilidade urbana. Além da troca de experiências e de conhecer estruturas como o CGCT (Centro Geral de Controle de Transporte), há expectativa de parceria nos “ônibus inteligentes”.

Semanas atrás, Doria visitou Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Fundamental esse tipo de viagem, especialmente quando é revertida em investimentos, parcerias técnicas e afins. São Paulo é uma cidade imensa, verdadeiramente gigante, e precisa de todo tipo de “expertise”.

No mais, confiram o vídeo preparado para apresentar a cidade aos sul-coreanos:

Doria entrega novos banheiros públicos do Ibirapuera, reformados sem custos à prefeitura

Começam a aparecer os resultados das parcerias firmadas pela gestão de João Doria, pelas quais empresas privadas oferecem serviços/obras/produtos, recebendo em troca a publicidade do ato, sem ônus financeiro ao município.

Agora, foram entregues os banheiros do Parque do Ibirapuera, então em situação terrível. Eles foram reformados pela construtora Cyrela e a manutenção será feita pela empresa Unilever. Para as duas companhias, gigantes, isso é um gasto pequeno, se comparado à boa visibilidade que recebem por conta da parceia (gastariam bem mais para anunciar em veículos, por exemplo).

Mas é claro que a que a esquerda finge achar ruim, para manter a narrativa ideológica de que empresas são inimigas e vilãs.

Bobagem, claro. Tudo é muito mais eficiente quando a iniciativa privada passa a ser considerada uma parceira, não adversária.

Em parceria com Gestão Doria, McDonald’s dará emprego a moradores de rua

Mais parceria, agora dando emprego diretamente a moradores de rua. É isso que já acontece entre a Prefeitura de São Paulo, sob a gestão de João Doria, e o McDonald’s. O plano é empregar pelo menos cem pessoas, e o projeto-piloto já garantiu vagas a seis delas.

Trata-se do programa Trabalho Novo.

E, claro, há aqueles que são críticos, de modo que provavelmente inventarão alguma “narrativa” para desmerecer até mesmo algo como isso. Mas, enquanto uns falam, outros fazem.

No mais, lembremos Ronald Reagan, numa de suas frases mais célebres: “o melhor programa social é o emprego”.

Gestão Doria: membros do Rede não conseguem liminar contra doações à Prefeitura de São Paulo

Falamos sobre isso dias atrás: quatro militantes do “Rede Sustentabilidade”, o partido de Marina Silva, entraram na justiça contra as doações recebidas pela Prefeitura de São Paulo, no âmbito das parcerias firmadas pela gestão de João Doria.

O argumento é pífio, e vai no sentido daquelas teorias conspiratórias na base do “aí tem”. Bobagem. As empresas doam produtos e ganham em troca visibilidade, boa propaganda e ficam numa situação positiva com os moradores da cidade, especialmente os usuários de serviços por elas patrocinados. E gastam menos com isso do que empregariam numa propaganda tradicional.

Enfim, o básico do básico, que aqueles desconhecedores de boas formas de gestão simplesmente ignoram – ou sentem vergonha por nunca terem pensado nisso nem tido a coragem de empregar algo do tipo.

E saiu a decisão judicial, que negou a liminar. Melhor para São Paulo.

Gestão Dória: 4 membros do “Rede” acionam justiça contra doações à prefeitura de São Paulo

De quando em vez, algum “gênio” da esquerda resolve colocar em xeque o sistema de parcerias implantado na Prefeitura de São Paulo pela gestão de João Doria. Segundo a teoria, que mistura conspiração e pura idiotice, haveria algum interesse escuso.

Bobagem. E já explicamos aqui. Um resumo: as empresas ganham com visibilidade, marketing positivo e assim por diante. Ao firmar parceria, aparecem em toda a imprensa, e só o custo disso já seria maior do que o produto, sem contar a visibilidade diária pelos cidadãos beneficiados.

Enfim, algo óbvio, mas sigamos, porque agora a coisa ganhou requintes absurdos.

Isso porque quatro militantes do “Rede Sustentabilidade” (sim, o partido da Marina Silva) entraram com ação na justiça para proibir que São Paulo receba doações, ou seja, acabando com tais parcerias. Sim, isso mesmo: AÇÃO JUDICIAL CONTRA ISSO.

Depois, a esquerda não entende por que está cada vez mais distante do povo. Parece até piada.

Gestão Doria: animais abandonados receberão ajuda a custo zero para a Prefeitura de SP

Mais uma vez, João Doria anuncia uma parceria com o setor privado, agora para ajudar em projetos que tenham foco nos animais abandonados.

Há quem considere esse tipo de tragédia algo menor, pois há também pessoas sem casa. Mesmo quem pensa assim há de reconhecer que a administração pública pode e deve voltar suas atenções a todos os problemas, não apenas aqueles que um grupo X uo Y consideram mais urgentes.

Nesse sentido, é indiscutível que a parceria será pra lá de positiva, e mais ainda quando se considera o custo zero aos cofres públicos.

Como assim “custou zero”? Exatamente: CUSTO ZERO. Aí alguém pergunta: “o empresário não faz isso de graça, o que ele ganha em troca?” e a resposta está nesse texto (em resumo: ele ganha MUITO em troca, sobretudo com a visibilidade da marca, a publicidade positiva etc.).

Quanto ao mais, o anúncio do início da parceria foi dado por João Dória em seu perfil oficial:

Uma ótima iniciativa. Mas, não duvidem: a esquerda achará um jeito de reclamar disso. Podem apostar.