Grupo que invadiu escolas no Paraná troca bandeiras do Brasil por outras vermelhas

A Reforma do Ensino Médio, comprovadamente uma ótima medida, continua recebendo oposição da turma de sempre. E escolas andam sendo invadidas, num procedimento que já conhecemos, muitas vezes por grupos ligados a partidos. É o caso da UJS, relacionada ao PC do B, que invadiu escolas também no Paraná.

E agora com alguns componentes deploráveis.

Segundo publica o blogueiro Cesar Weiss, e também o site Ucho (cujo post foi indicado por Bolívar Lamounier), o movimento de invasão teria trocado as bandeiras do Brasil por outras vermelhas, conforme a imagem que ilustra este post, publicada originalmente por Weiss.

A coisa fica ainda mais complicada quando se constata – e ambos observam isso – a aliança entre o PC do B e um dos candidatos à Prefeitura de Curitiba, Ney Leprevost (PSD). Ontem mesmo falamos que ele poderia ter problemas com algumas de suas alianças, mencionando expressamente o PCdoB.

Tudo que uma campanha eleitoral menos precisa, a esta altura, é explicar esse tipo de coisa. Mas alguns aliados acabam obrigando a isso.

Curitiba: Ney Leprevost, que diz ser pró-impeachment, é apoiado por PC do B e Rede

Parece que definitivamente não é um bom negócio receber determinados “apoios”. No Rio de Janeiro, por exemplo, Jandira Feghalli foi apoiada por Lula e Dilma Rousseff e teve como resultado uma queda vertiginosa. Agora no segundo turno, Freixo também recebeu o “apoio” e não se mostrou muito favorável a ter o ex-presidente a seu lado.

Pois imaginem como deve estar a coisa em Curitiba, considerando a posição pró-impeachment do eleitorado paranaense…

E a situação anda complicada para Ney Leprevost, do PSD, que recebeu apoio do PC do B, um dos partidos mais próximos do PT, considerado mesmo sua “linha auxiliar”. E mais: também está ao seu lado o Rede, acerca do qual o Partido dos Trabalhadores ainda hoje recomendou expressamente que seus militantes apoiassem.

Ele terá agora muito trabalho para dizer-se pró-impeachment (já mencionou isso num video postado na rede) e seguir apoiado por tais partidos; ou então essas legendas que precisarão de bons argumentos para manter o apoio.

De mais a mais, a política brasileira segue não sendo algo para principiantes.

Ótimo que todos saibam: PT orienta “apoio incondicional” a PSOL, PC do B, Rede e PDT

Logo mais, vem a votação para o segundo turno em algumas das grandes cidades do país. Nem todos os eleitores sabem em quem votar – ou mesmo em quem NÃO votar. E o Partido dos Trabalhadores resolveu dar uma mãozinha.

E nós, do Implicante, nem mesmo emitiremos juízo de valor algum. Apenas reiteramos: o PT recomenda à sua militância o APOIO INCONDICIONAL a PSOL, PC do B, Rede e PDT. Além, claro, àqueles com quem já estiveram no primeiro turno.

Era só isso, mesmo. Vocês já sabem o que fazer na urna e não é nosso papel influenciar nesse momento. Aliás, o PT já acabou de fazer isso.

A quem quiser ver na fonte, aqui vai o post original (e chega a parecer autoritário isso de “apoiar incondicionalmente”, não? nem mesmo podem colocar condições ao apoio? poxa…):

Segundo delator, PC do B recebia propina bilionária do “Minha Casa, Minha Vida”

Dilma Rousseff - Aldo Rebelo

A delação de Pedro Correa (PP) há tempos vem prometendo ser das mais “emocionantes” (e falamos aqui duma época já suficientemente repleta de emoção). Isso porque se trata de um veterano, que acompanha o dia-a-dia mais “heterodoxo” da política brasileira há muitas e muitas décadas.

Com a proximidade da revelação oficial de todo o conteúdo, algumas partes já vazam para a imprensa e o que se vê é chocante. Ou não muito, enfim.

Veja-se, por exemplo, o que ele fala do PC do B, o eterno parceiro do PT.

Segundo o delator, o Partido Comunista do Brasil recebia propina do programa “Minha Casa, Minha Vida”. Justamente um programa voltado para a habitação dos mais pobres. Pois é…

E não recebiam qualquer coisa, não. Era de 10 a 30%, o que dá à coisa um valor bilionário. E boa parte ia direto para Aldo Rebelo, comunista aliadíssimo de Lula e Dilma. Outra, do mesmo partido, que foi recentemente apontada como beneficiária de propina é Jandira Feghali, atualmente ferrenha opositora do impeachment.

O pior de tudo é que, a essa altura, talvez ninguém fique surpreso.

No Paraná, PT e PC do B se complicam nas eleições do ano que vem

Gleisi-Hoffmann---Ricardo-G

A informação é do Blog do Tupã, publicado no portal Bem Paraná, trecho a seguir:

“Desde então Gleisi se enrolou com o Petrolão – está denunciada em três frentes de investigação da Operação Lava Jato – e Gomyde teve um novo fracasso ao ser novamente derrotado quando tentou neste ano a presidência da Federação Paranaense. E a situação dos dois piorou mais nos últimos dias. Gleisi vê com apreensão o último levantamento do Paraná Pesquisas que aponta que 83,2% dos entrevistados afirmam que não votam mais nos políticos investigados na Lava Jato. E Gomyde se enrolou mais quando dois cheques do Coritiba, no valor de R$ 200 mil, foram parar nas contas de sua campanha e suspeitos de serem usados na compra de votos de presidentes de times para sua pretensa eleição. O comunista ainda viu seu assessor de imprensa, Adriano Rattman, ser demitido do cargo de coordenador de comunicação do clube do Alto da Glória.”

Parece que o povo paranaense tem um recado duro a dar nas urnas.

Depois das facadas, miliantes agora planejam dar tiros de zarabatana no Pixuleco

Boneco Inflavel Lula - Enquete

Democracia não é nem nunca foi o forte da esquerda. Se discordam de algo, é normal que queiram destruir, às vezes literalmente e sempre sob aplausos da galerinha “democrática” das redes sociais. E o boneco Pixulula (ou Pixuleco) tem causado efeitos drásticos nesse pessoal. Simplesmente não o toleram.

Primeiro foram as facadas, agora a coisa ficou mais séria. Seguem notas da coluna Painel, de Vera Magalhães, na Folha:

“A UJS (União da Juventude Socialista), grupo a que pertence a militante que “esfaqueou” o boneco inflável de Lula vestido de presidiário, planeja novo ataque. Integrantes do movimento passaram os últimos dias procurando zarabatanas para tentar atingi-lo de longe.”

Além da bizarrice do ato em si, há uma questão importante: e se pegar em alguém?

Loucura total: pra zerar mortes pelo tráfico, deputado governista defende proibir programas como o do Datena

chico lopes - datena 1

Se alguém duvida, está lá no perfil oficial do parlamentar. Abaixo, o print, voltamos em em seguida:

chico lopes - datena

Pois é. Claro que não há qualquer evidência nesse sentido, mas sim puro chute. O principal, porém, é o traço autoritário sempre presente na esquerda. Quase sempre encontram “soluções” que consistem em proibir, vetar, regulamentar, diminuir, restringir, cercear.

É mais do que óbvio que programas policiais não aumentam número de homicídios, apenas divulgam o que acontece, trazendo a realidade do “mundo cão” a todas as pessoas (o “certo” seria esconder?). E também é mais do que óbvio que a irritação com esses apresentadores, por parte da esquerda, deve-se ao fato de que todos eles são de viés mais “direitista”, especialmente no combate ao crime.

Segundo a esquerda, o crime não acontece por culpa do criminoso, mas sim por culpa de toda a sociedade. Sim, culpa também da vítima. Recentemente, e não de forma unânime, passaram a abrir exceção aos casos de estupro, única ocasião, para o esquerdismo, em que a culpa seria somente do criminoso, mesmo. Quando se trata de homicídio, porém, culpada é a sociedade, não o bandido.

No fim, eo post bisonho do deputado serve para simbolizar dois aspectos fundamentais dos esquerdistas: faltar com a verdade (muitas vezes atropelando até a lógica mais elementar) e aproveitar qualquer momento para emplacar teses e discursos ideológicos, preferencialmente de autoritarismo do governo.

Ainda bem que, há tempos, ninguém mais cai nisso. Ao contrário: as pessoas detectam e já combatem imediatamente essas patifarias. Melhor assim.

ps – o jogo será pesado para Datena, agora que ele se lançou candidato à prefeitura de SP e já aparece em segundo nas pesquisas, mas esse tipo de post chega a ser mais folclórico e fanfarrão do que meramente um ataque… é patético!

Barbaridade: “Quero ser bandido mesmo” disse menor de idade que estuprou e assassinou

MenoresCrimePiauiUm dos crimes mais monstruosos já vistos no país continua a assombrar a população em meio ao debate sobre a redução da maioridade penal. Uma reportagem da revista Veja desta semana ajuda a ilustrar o ambiente criado pela situação de impunidade no país. Leiam alguns trechos:

Danielly Rodrigues Feitosa, de 17 anos, desapareceu na tarde de 27 de maio depois de subir com três amigas o Morro do Garrote para tirar fotos que seriam publicadas em redes sociais. No caminho, as estudantes foram rendidas por quatro adolescentes que, naquela tarde, usavam drogas na companhia de um traficante de 39 anos, fugitivo de São Paulo. O desfecho desse encontro foram duas horas de terror. As meninas foram despidas à faca, amordaçadas com as próprias roupas íntimas, amarradas a um cajueiro, torturadas e obrigadas a manter relações sexuais com os cinco menores. Depois disso, foram atiradas de um penhasco. A queda no terreno de pedregulhos pontiagudos provocou ferimentos severos. Elas ainda ficaram cravejadas de espinhos pelo corpo. Como não sobreviveram, dois menores desceram o morro e tentaram liquidá-las a pedradas.Danielly morreu no último domingo e uma das vítimas permanece internada em estado grave. A atrocidade foi cometida no momento em que o Congresso Nacional parece ter decidido fazer avançar mudanças na maioridade penal no Brasil. Quem conheceu as quatro meninas da minúscula cidade do Piauí, estado recordista em indicadores negativos no país, só quer resposta para uma pergunta: menores que cometem crimes brutais como esse vão ficar impunes?

G.V.S é o menor que aparece em vídeo obtido pelo site de VEJA. Nele, acusa o traficante Adão José Silva Souza de ter forçado as quatro vítimas a manter relações sexuais com ele e com todos os meninos com uma arma à mão – a versão também consta dos depoimentos dos demais menores, embora a polícia não tenha encontrado o revólver 38 na cena do crime, nem um revólver 32, que também aparece em um dos depoimentos. O vídeo foi gravado por policiais civis após a captura dos menores na manhã seguinte ao crime – os celulares das vítimas ainda estavam jogados no local.

G.V.S foi reconhecido por fotos durante o depoimento de duas das adolescentes que conseguiram falar à polícia: J.L.S., de 15 anos, que recebeu alta nesta semana, e I.C.M.F., de 16 anos, que sofreu traumatismo craniano. Segundo elas, foi ele quem as abordou primeiro com uma faca, e não Adão. A terceira sobrevivente, R.N.S.R, de 17 anos, ainda não teve alta no Hospital de Urgências de Teresina (HUT).

“Esse menor de 17 anos é frio e calculista, não consigo acreditar que um ser humano faça tamanha crueldade”.

Segundo a mãe, G.V.S tinha comportamento agressivo com as irmãs. Conta que sempre que o garoto entrava em casa, as meninas diziam: “Lá vem o ladrão!”. G.V.S ficava furioso. Para a mãe, a culpa pelo comportamento do filho é das más companhias e e das drogas. Ela diz que sempre implorou para que ele “saísse dessa vida e fosse trabalhar” e que chegou ameaçar abandoná-lo.O promotor Cezário Cavalcante Neto conta que já decidiu perdoar G.V.S. em uma audiência e solicitou que ele fosse matriculado em uma escola em vez de ser internado. O garoto reagiu: “Ele disse na minha frente e na frente do juiz ‘Quero é ser bandido mesmo’. Fiquei em choque”.

O PT, o PSOL, o PC do B e inúmeros grupos de esquerda são contra o aumento nas punições a menores de idade.