A preocupação com o lobby pedófilo não é uma pauta local, mas mundial

Não é só no Brasil que a opinião pública anda cada vez mais preocupada com o lobby político da pedofilia. Legendado pelos Tradutores de Direita, o vídeo acima traz Paul Joseph Watson, por quase 14 minutos, enumerando casos em que pedófilos ou suspeitos teriam se infiltrado em organizações ou grupos de influência para cometerem suas barbaridades.

Os casos não são detalhados porque este não é o propósito da compilação. Lá, Watson queria provar que há razão em tanta preocupação. E olha que ele nem chega a citar – por motivos óbvios – os casos já investigados envolvendo instituições católicas.

O Implicante, por sua vez, acha por bem reverberar este conteúdo para que fique claro que o debate não é fruto de nenhuma histeria local, mas sim algo que vem rodando o mundo e não estaria tão em evidência se não fizesse sentido.

Pedofilia: ex-assessor da Casa Civil recebe a SEXTA condenação

Dilma Rousseff - Eduardo Gaievski - Gleisi Hoffmann

Eduardo Gaievski era assessor de Gleisi Hoffman, quando ela foi Ministra-Chefe da Casa Civil, na gestão Dilma. Ele também foi condenado por PEDOFILIA e, como bem sabemos, não há grandes protestos ou afins por considerável parcela do movimento feminista – o mesmo movimento que promove petições e até passeatas quando algum humorista (que não seja de esquerda) faz meramente uma piada que considerem machistas.

Pois bem, segue o baile. Fato é que Gaievski agora foi condenado pela SEXTA VEZ, tendo agora um total de 101 anos de prisão diante de todas as condenações (pela lei brasileira, porém, o máximo que uma pessoa pode ficar presa ininterruptamente é 35 anos).

É um caso sério que não mereceu os protestos de sempre pela militância de sempre. Por que será, né? E, a seguir, uma coletânea do que já publicamos sobre o fato:

http://blog.implicante.org/noticias/gaievski-defende-acusacao-estupro-menores-seriam-maduras/

http://blog.implicante.org/noticias/filho-e-advogado-de-ex-assessor-da-casa-civil-sao-presos-por-coagir-testemunhas/

http://blog.implicante.org/noticias/ex-assessor-de-gleisi-e-da-presidencia-e-condenado-por-estupro-de-menor/

http://blog.implicante.org/noticias/ex-assessor-da-presidencia-sofre-nova-condenacao-por-estrupro/

Em Cuiabá, ex-secretário petista é preso com drogas e menor de idade

Estrela Simbolo PTLeiam a nota publicada pelo site “Mídia News“, de Cuiabá:

O ex-secretário-adjunto estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) e suplente de vereador em Cuiabá, Valdemir Rodrigues Pascoal, de 36 anos, foi detido no final da tarde de domingo (10) portando drogas ilícitas.

A abordagem da Polícia Militar foi feita no bairro Alvorada, na Capital, na Avenida Jules Rimet, conhecida por ser um ponto de uso de drogas.

Segundo a PM, dentro do carro de Valdemir foram encontradas porções de substância análoga à cocaína e também bitucas de cigarro de maconha.

Ainda conforme a PM, o ex-secretário estava acompanhado de uma garota de 17 anos.

Segundo o site G1, o ex-secretário e suplente de vereador do PT apresentou documento dizendo-se secretário:

Valdemir estava na companhia de uma adolescente de 17 anos e se apresentou como secretário de Mato Grosso, inclusive mostrou uma carteira do cargo.

Em revista no veículo os policiais encontraram uma porção de cocaína perto da embreagem, além de dois cigarros de maconha. A carteira apresentava por Valdemir estava com a data de validade vencida.

Filho e advogado de ex-assessor da Casa Civil são presos por coagir testemunhas

Acusado-de-estupro-ao-lado-de-Dilma-em-2012-480x379

Matéria da Folha de S. Paulo:

O filho do ex-assessor da Casa Civil Eduardo Gaievski e um advogado foram presos nesta quarta-feira (23), no Paraná, sob suspeita de tentar coagir testemunhas do caso, segundo a Polícia Civil.

A prisão dois dois foi feita por meio do relato de uma testemunha, que disse estar sendo coagida. Segundo ela, o ex-prefeito pagaria R$ 1.000 a cada família pela alteração do depoimento das vítimas.

Atrás dessa pista, a polícia flagrou, na quarta-feira à tarde, o advogado e o filho de Gaievski num carro com duas mães de adolescentes a caminho de um cartório –segundo a polícia, para alterar o teor do depoimento.

Os dois foram presos em flagrante. Outras duas pessoas, que também participariam do esquema, estão sendo procuradas.

Folha não divulga os nomes dos acusados porque não conseguiu contato com os advogados deles. À polícia eles afirmaram que somente falarão em juízo.

GAIEVSKI

Gaievski, que trabalhava com a ministra Gleisi Hoffmann, foi preso em agosto, sob a suspeita de forçar adolescentes a fazer sexo com ele em troca de dinheiro. Os fatos ocorreram à época em que ele foi prefeito de Realeza (sudoeste do Paraná) pelo PT, de 2005 a 2012.

O ex-assessor, que foi afastado da Casa Civil e desfiliado do PT, está preso preventivamente desde então. Ele nega as acusações e diz que a promotora que ofereceu a denúncia tem uma “notória desavença” contra ele e, por isso, “maculou todo o processo probatório”.

Comentário

Como se fosse possível, a defesa do ex-assessor de Gleisi Hoffman consegue piorar mais ainda a situação dele. Seria este o mesmo advogado que pretendia alegar a “maturidade” suficiente das moças?

Nós já tratamos do caso Gaievski anteriormente aqui e aqui.

PT tem candidato suspeito de pedofilia no interior de SP

Em Paulínia (SP), Executiva Estadual do Partido dos Trabalhadores briga com diretório municipal por candidatura de Dixon Carvalho, que já apareceu em fotos vazadas na internet em “situação de pedofilia”. O candidato contesta a autenticidade do material. Reportagem da Folha de S. Paulo:

Um suposto caso de pedofilia foi responsável, nesta semana, por uma cisão no PT em Paulínia (a 117 km de São Paulo), cidade que tem a maior refinaria da Petrobras e o 17° PIB per capita do país.

Em 2009, circularam fotos que mostrariam o economista Dixon Carvalho, candidato do PT na cidade, em situações de pedofilia. Ele próprio acionou a Justiça questionando a autenticidade do material –o processo corre sob sigilo.

Na semana passada, a Executiva Estadual do PT afirmou, em nota, ter decidido pela expulsão de Carvalho, após ter tomado conhecimento da denúncia.

Anteontem, o PT de Paulínia disse que havia ocorrido um “erro de comunicação” e o candidato estaria suspenso, não expulso, o que foi confirmado pelo PT de São Paulo.

Ontem, a Secretaria Nacional de Organização do PT informou que Carvalho está “formalmente suspenso por 60 dias”, mas “politicamente expulso”.

Carvalho disse ser alvo de uma “situação arbitrária” e que continua na disputa –o que é avalizado pelo cartório eleitoral de Paulínia. “Sei da minha inocência e fui eleito [candidato] pelas regras do partido.”