Fundo de aposentadoria da Petrobras, envolvido na Lava Jato, tem rombo de R$ 27,3 bilhões

A Petrobras, como muitas empresas públicas, possui um fundo de pensão destinado à aposentadoria de seus funcionários, a fim de complementar o valor que todos receberiam normalmente. Trata-se do “Petros”, cujo custeio (obviamente) se dá mediante desconto em folha.

Por tratar-se de uma empresa imensa, o saldo desse fundo é também imenso. E é aí que a coisa fica perigosa.

Isso porque esse fundo foi envolvido em todo tipo de negociata, causando prejuízo a todos os colaboradores que, de novo é óbvio, são os funcionários da empresa. Segundo depoimento de Nestor Cerveró, o então ministro Edison Lobão deu ordem para que verba do “Petros” atendesse o banco BVA.

E agora revela-se o rombo de tantos e tantos atos congêneres: R$ 27,3 bilhões. Sim, isso mesmo, VINTE SETE BILHÕES E TREZENTOS MILHÕES DE REAIS.

Os funcionários terão de pagar por isso. Depois, ainda dizem que pensavam no “trabalhador”…

Nos governos do PT, Petrobras encolheu 85% e o faturamento da Odebrecht subiu mais de 500%

O Políticas.Info fez um levantamento interessantíssimo, que serve como certa síntese dos anos de PT no governo: a Petrobras encolheu drasticamente, enquanto a Odebrecht experimentou um crescimento gigante. Não qualquer crescimento, mas sim verdadeira explosão. A empreiteira faturava cerca de R$ 17 bilhões antes da primeira eleição de Lula e, no início da Lava Jato, esse total era de mais de R$ 107 bilhões.

Já a Petrobras, que vinha crescendo de forma gradual, teve seu valor de mercado extremamente reduzido. Em 2008, era avaliada em R$ 510,3 bilhões, mas em 2016 esse valor totalizava apenas R$ 73,7 bilhões.

Uma triste síntese do que ocorreu em nosso país. E, não por total coincidência, a Operação Lava Jato envolve principalmente as duas empresas.

A Petrobras fechou 2016 com o primeiro trimestre positivo desde que foi vítima do Petrolão

A notícia de fato começa ruim. A Petrobras fechou 2016 com prejuízo, o terceiro ano seguido. Mas basta comparar os números para confirmar que o problema agora foi substancialmente menor. O déficit de R$ 14,8 bilhões do ano passado é menos da metade dos R$ 34,8 bilhões de 2015, ou dois terços dos R$ 14,8 bilhões de 2014.

Mas, ao se observar o quarto trimestre da última temporada, a notícia boa surge. Após uma sequência bem ruim, finalmente fechou o período com saldo positivo. O mercado esperava mais, mas os R$ 2,5 bilhões já quebram a sequência negativa.

A melhor notícia de todas, contudo, diz respeito à dívida da empresa, que sofreu uma queda de 20%.

Nada como tirar o PT de dentro da estatal.

Que venham resultados ainda melhores.

Pela segunda vez, agora em depoimento como réu, Lula complica a vida de Dilma Rousseff

Da primeira vez, poderia ser algo inadvertido, um lapso, quase ato-falho. Mas agora, com a repetição, a coisa fica um tanto mais complicada. Vamos por partes.

Em manifestação ao juiz Sergio Moro, em processo do qual é réu, Lula recusou a participação da Petrobras como assistente de acusação, alegando que a empresa não seria vítima, e sustentou essa argumentação tratando da ciência dos fatos por parte da diretoria.

Problema: Dilma Rousseff, na época, era Presidente do Conselho de Administração da estatal.

E agora, em depoimento pessoal, como réu no processo de obstrução de justiça em Brasília, ele diz o seguinte:

Enfim, ele menciona EXPRESSAMENTE o Conselho de Administração. E não há para onde correr: a presidente desse conselho era Dilma.

E agora? Agora, como sempre, aguardemos. Mas já fica muito difícil acreditar em dois fatos fortuitos.

Contrariando versão petista, Lula diz a Sergio Moro que Petrobras “não é vítima” do Petrolão

Sempre falamos aqui sobre as “narrativas” e o quanto a militância faz de tudo para que sejam preservadas – mesmo fatos são invariavelmente ignorados, caso comprometam suas versões. Pois eis que Lula, por meio de seus advogados numa das ações em que é réu na Lava Jato, resolveu atropelar a coisa toda.

Vamos por partes.

O discurso fundamental do petismo sempre foi o de que a Petrobras foi vítima de pessoas más, agentes desonestos etc. E não se trata de comentário de bastidor, mas sim do discurso de posse de Dilma Rousseff em 2015, quando já se levantavam suspeitas seriíssimas sobre a empresa – e a Lava Jato ganhava corpo, por assim dizer.

Pois bem. Lula agora diz outra coisa.

A empresa requereu habilitar-se como assistente de acusação num dos processos de que ele é réu, e então o petista não topou. Para fundamentar, digamos assim, sua recusa, a explicação foi a seguinte:

“…se ocorreram os desvios afirmados na denúncia, a Petrobras não pode ser considerada vítima, pois para ocorrência destes teriam concorrido diretores, gerentes e outros funcionários – isso sem falar que os próprios sistemas de controle de companhia não teriam funcionado na hipótese cogitada. Dessa forma, a empresa também possui responsabilidade no esquema criminoso” (grifamos)

Importante dizer que os grifos acima são nossos, mas a frase mais marcante foi também grifada na petição original, confiram a seguir:

O que dizer? Chega a ser engraçado fazer um comparativo das duas versões:

Quanto ao mais, então se uma empresa pública for dilapidada por diretores, quase todos eles indicados por políticos, ela não seria vítima? Mais ainda, também teria responsabilidade?

Difícil concordar com a tese. Ainda por cima, ela expõe uma grande aliada, e sobre isso falaremos daqui a pouco, em post próprio.

Em tempo: a conclusão não estar no futuro do pretérito, como referência a uma hipótese, mas sim de forma assertiva, pode ser um tremendo ato-falho, não? Em vez de “a empresa também possuiria”, concordando até mesmo com o “teriam”, foram direto ao “a empresa também possui” – não mais flexionando o verbo ao que seria hipotético/condicional. Mas isso é chatice nossa, enfim. Claro.

Em tempo2: imagine a cara da militância… Enfim, eles não tem problema com isso e certamente mudarão toda a narrativa. O líder deve ser não só obedecido, mas seguido.

Nos EUA, a Petrobras está sendo processada por poluição causada pela refinaria de Pasadena

E Pasadena continua dando dor de cabeça à Petrobras, desta vez por questões ambientais. O Environment Texas e o Lone Star chapter do Sierra Club são grupos ambientalistas dos Estados Unidos. Eles estão processando a estatal brasileira por violar os limites de poluição permitidos para a refinaria.

Até segunda ordem, Pasadena é o pior negócio firmado pela gestão petista durante a passagem pelo comando do Brasil. Por tudo de ruim que o prejuízo bilionário causou, há apenas um ponto a se celebrar: os números forçaram a queda da máscara de Dilma Rousseff. Depois de conhecidos, desistiram de chamá-la de “gerentona”.

Mas, ao que tudo indica, a refinaria continuará rendendo pesadelos ao Brasil.

Acabou a farra: Petrobras corta patrocínio ao carnaval em 100%

Parte da tal “classe artística” vai reclamar, bem como os riquíssimos produtores culturais que fazem fortunas nos festejos de Momo. Mas a medida é acertadíssima. Não faria nem mesmo sentido que a Petrobras torrasse sua grana nesse tipo de coisa.

E não é qualquer montante, pois já chegou a colocar R$ 22 milhões (em 2014) em escolas de samba, trios e blocos.

Sim, o carnaval é uma festa maravilhosa e uma tradição do nosso povo. Mas é preciso também que seja economicamente sustentável, de modo a não depender sempre do investimento do estado – que, na prática, é o dinheiro do contribuinte.

Mais ainda quando se trata da Petrobras, verdadeiro “ícone” da Operação Lava Jato, que passou por uma administração destrutiva e foi corroída pela corrupção.

Fez bem o governo. Fez bem a Petrobras.

Enquanto você paga quase R$ 4 na gasolina, a Bolívia consegue comprar a R$ 1,61 da Petrobras

Essa é daquelas para entender o malfadado “custo Brasil”. A depender da região, o brasileiro vem se acostumando a pagar até R$ 4,00 por litro de gasolina, um valor que afeta a economia das mais variadas formas. Conforme publicado na Coluna Esplanada, a estatal petroleira boliviana conseguiu comprar gasolina da Petrobras por R$ 1,61, um valor 60% mais baixo.

Em nota, a assessoria da estatal brasileira justificou que apenas cumpre um contrato vigente com a YPFB, e que o generoso desconto nascia da ausência de impostos na “exportação de derivados”.

Mas a explicação não ajuda muito e esse caso precisa ser aprofundado. De quando é esse contrato? Quem o assinou? Com quais intenções?

Não é piada: Lula realmente disse isso, e a Internet reagiu com o “carinho” esperado

Não por acaso, a Lava Jato é também chamada de “Petrolão”, pois investiga principalmente os desvios praticados na Petrobras durante os governos petistas. E o prejuízo foi drástico: segundo as autoridades, o valor total seria de R$ 42 bilhões. Sim, só com a Petrobras.

Para se ter ideia do tamanho do rombo, basta dizer que, com esse montante, daria para construir 1.160 presídios de grande porte.

Mas eis que surge o Sr. Luís Inácio e fala o seguinte:

Pois é, isso foi relatado pelo perfil oficial da bancada do PT na Câmara dos Deputados. Assim, diante do disparate, é claro que a turma reagiu de forma “enérgica”, por assim dizer.

Algumas respostas não poremos aqui, pois de fato foram muito agressivas. Mas é possível destacar algumas:

https://twitter.com/md_diegorm/status/822237913308078084

Enfim, inacreditável que eles tenham coragem de dizer isso. O bom é que hoje em dia o papo já não cola mais.

CNN já disse uma grande verdade sobre o Brasil: a sede da Petrobras é muito feia!

 

Relembrar é viver, não é mesmo?

Em tempos de guerra com a progressista CNN, o Implicante relembra aqui um dos grandes favores que emissora já nos fez.

O pessoal que misteriosamente é mais apegado a Petrobras do que à própria família não vai gostar dessa verdade amarga: a atual inimiga de Donald Trump, CNN, elegeu há alguns anos o prédio sede da estatal petrolífera brasileira, na Avenida Chile, centro do Rio, como 10° mais feio do mundo. Junto com o Edise (chamado assim pelos funcionários, uma abreviação de Edifício Sede), figuram construções monstruosas como o Mausoléu de Ho Chi Mihn, no Vietnã.

A construção do Edise demorou 14 anos para ficar pronta, foi entregue em 1974 e também foi o resultado de um concurso do Instituto Brasileiro de Arquitetura.

Mais feio que o Edise só aquele hotel em formato fálico da Coreia do Norte, que desponta em primeiro lugar na lista da CNN, comprovando que comunismo e arquitetura é uma combinação triste!