Nova proposta do governo Dilma pode resultar em mais impostos, menos empregos e mais inflação

Entre tantas frases mentirosas, a campanha de Dilma Rousseff para a reeleição soltou ao menos uma verdadeira, que se tornou um grande mote: MUDA MAIS. Não era mentira, de fato. As mudanças continuam, mas são mudanças sempre para pior. Muito pior.

A bola da vez é fazer o ajuste de contas por meio do aumento de arrecadação, sem corte efetivo de gastos ou aumento da eficiência do estado. Na semana passada, o Secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, defendeu mudança na forma de cobrar PIS e Cofins, estabelecendo novas categorias. E, sim, na prática será um aumento na cobrança (regra de ouro: nunca um governo muda qualquer metodologia de cobrança tributária se não for para aumentar a arrecadação).

Na prática, as empresas pagarão mais impostos, o que elevaria o custo dos produtos e serviços (aumento na inflação) e o corte de despesas (desemprego). O governo Dilma pretende combater a recessão aumentando a recessão.

Dilma - PIS Cofins

O “Muda Mais” era verdade. Muda sempre, muda mesmo, muda para pior.

Quem paga pelos erros da Dilma? Você! Agora, governo aumentará PIS e COFINS!

ihrapaz

Leiam trecho de reportagem do Estadão, por Adriana Fernandes:

“Para reforçar o caixa, o governo prevê arrecadar, até o final do ano, R$ 2,7 bilhões com o aumento do PIS e da Cofins sobre as receitas financeiras de empresas em 2015. A medida afetará 80 mil empresas em todo o País, segundo nota da Receita Federal publicada nesta quinta-feira.”

Não se trata apenas de “reforçar o caixa”, mas sim tentar ajustar as contas depois do próprio governo cometer tantos erros. O desastre na política econômica praticamente obriga a isso, fazendo com que os cidadãos paguem pelos tropeços de Dilma. Resultado: as empresas mais oneradas precisarão cortar gastos, o que provavelmente significa mais desemprego.

Tenhamos forças.