Depois das facadas, miliantes agora planejam dar tiros de zarabatana no Pixuleco

Boneco Inflavel Lula - Enquete

Democracia não é nem nunca foi o forte da esquerda. Se discordam de algo, é normal que queiram destruir, às vezes literalmente e sempre sob aplausos da galerinha “democrática” das redes sociais. E o boneco Pixulula (ou Pixuleco) tem causado efeitos drásticos nesse pessoal. Simplesmente não o toleram.

Primeiro foram as facadas, agora a coisa ficou mais séria. Seguem notas da coluna Painel, de Vera Magalhães, na Folha:

“A UJS (União da Juventude Socialista), grupo a que pertence a militante que “esfaqueou” o boneco inflável de Lula vestido de presidiário, planeja novo ataque. Integrantes do movimento passaram os últimos dias procurando zarabatanas para tentar atingi-lo de longe.”

Além da bizarrice do ato em si, há uma questão importante: e se pegar em alguém?

Gestão Haddad estuda multar o Pixulula

Foto: Gabriela Gonçalves/G1
Foto: Gabriela Gonçalves/G1

Os petistas perderam o rebolado com o Pixulula. O boneco já os tirou do sério inúmeras vezes, com direito a nota oficial do Instituto Lula, militante rasgando na base da facada e, agora, até mesmo a chance de levar multa da gestão Haddad (a mesma que não enquadra na Lei Cidade Limpa os balões da CUT).

A informação é de Giba Bergamim Jr. da Folha, trecho a seguir:

“Símbolo dos protestos pró-impeachment, o boneco inflável que representa o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pode ser proibido de circular pela cidade por desrespeitar a Lei Cidade Limpa, que coíbe a poluição visual da cidade. Na sexta-feira (28), integrantes da prefeitura paulistana se reuniram para tentar impedir que o objeto de 15 metros de altura ficasse exposto.”

Situação patética, bisonha e até mesmo inaceitável. Como assim “integrantes da prefeitura se reuniram para tentar impedir”? Impedir por quê? Que diabo de democracia é essa? Prefeitura é prefeitura, partido é partido. Ao menos, deveria ser.

Haddad é o pior prefeito da história de São Paulo e tem fama de preferir o supérfluo em vez do essencial e necessário. Mas isso é estapafúrdio até para ele.

Boneco gigante de FHC, feito pela CUT em 98, custaria hoje R$ 32 mil

Foto: Juca Varella/Folhapress
Foto: Juca Varella/Folhapress

A militância governista agora deu para questionar o valor investido no Pixulula, o boneco inflável gigante que vem recebendo aplausos por todo o país (e também algumas facadas dos que ficam bravos com a brincadeira).

O referido bonecão custou R$ 12 mil e fazem um alarde danado. Perguntam de onde teria vindo essa verba, além de coisas do tipo. Mas se esquecem de mencionar o bonecão de FHC feito pela CUT em 1998 que, em valores de hoje, custaria praticamente três vezes o preço do Pixulula: R$ 32 mil.

Em tempos de Operação Lava Jato e tantos e tantos bilhões desviados, já seria estranho os “trezeconfirma” tão indignados com o pequeno valor de um boneco. Mas a cereja do bolo é mesmo a lembrança de que, quando eram oposição, gastaram três vezes mais num boneco que, no fim, não fez nem um décimo do sucesso do nosso amado PIXULULA.

Sobrepreço e incompetência. A cara deles.