Curiosamente, Trump vem se virando com uma tática que era defendida por… Plínio de Arruda!

Ao conceder a primeira entrevista exclusiva como presidente dos Estados Unidos, perguntaram a Donald Trump o motivo de usar tanto o Twitter. Eles respondeu que recorria às redes sociais pois seria uma forma de contornar o trabalho enviesado da imprensa, que sempre descontextualizava as falas do republicano de forma a vendê-lo como um vilão a ser abatido.

Tem dado certo. Nas redes sociais, exceto pela Fox News, que defende Trump, o presidente americano atinge sozinho público muito maior do que os veículos que mais lhe são críticos, como a CNN, o NY Times ou mesmo o Buzzfeed.

Acreditem ou não, essa estratégia já foi grosseiramente defendida por um presidenciável brasileiro. Nas palavras dele, expor ideias no Twitter seria uma forma de “romper o monopólio da mídia burguesa“. E o nome dele era… Plínio de Arruda:

Plínio, contudo, não deve ter percebido o quanto a tal “mídia burguesa” estava disposta a defender os ideais dele. Não à toa, o seu PSOL vive recebendo da imprensa prêmios por um suposto ótimo trabalho realizado no Congresso.

Mas não deixa de ser curioso – e um tanto bizarro – que o homem mais poderoso do mundo esteja se virando com estratégia semelhante.

Em vídeo de 2010, Plínio de Arruda acerta todas as previsões catastróficas sobre Dilma

Plínio de Arruda é da cota dos petistas que migraram para o PSOL após o Mensalão tornar-se público. E foi pela linha auxiliar do PT que disputou a eleição presidencial em 2010. Contudo, sabendo de antemão que sairia derrotado da disputa, aproveitou os microfones abertos na TV para forjar uma “oposição à esquerda” de Lula e de sua candidata, Dilma Rousseff. Numa época em que o lulismo aproximava-se dos 90% de aprovação, suas palavras chamaram atenção por serem mais duras até mesmo do que o discursos dos reais partidos opositores.

Numa compilação resgatada pelas redes sociais, Plínio soa um visionário que acerta todas as previsões negativas a respeito de Dilma Rousseff. De uma franqueza assustadora, ele diz que a petista nada mais era do que um produto de marketing do PT, que isso de trabalhar manobrada por Lula nunca daria certo, e que, quando o país estivesse quebrado e sem verba para educação ou saúde, a imprensa lembrasse que ele avisou.

Como a imprensa segue se negando a cumprir o seu papel, o Implicante dá essa força a Plínio de Arruda, ainda que em discordância da sua visão de mundo: sim, ele avisou.

Para conferir os desabafos, basta acionar o player acima.

As graves ofensas petistas a Plínio de Arruda

Maluf, Mutran e Haddad, esquerdistas paulistanos coligados

Hoje pela manhã, Plínio de Arruda Sampaio, fundador do PT e partido de que saiu após manterem Dirceu na legenda mesmo depois do Mensalão, declarou ser contra a eleição do candidato petista em São Paulo. Vejam o tuíte:

Imediatamente, recebeu todo tipo de resposta ofensiva. Em sua maioria, foram insultos o considerando demente em função da idade; mas houve quem falasse em interesse financeiro e coisa do tipo.

Segue coletânea (foram 23 páginas de xingamentos variados, tentei resumir ao mínimo possível):

Esses são os mesmos petistas que acusam o PSDB de “campanha suja”, “ataque pessoal” etc. Basta um dia no tuíter para acompanhar esse mecanismo espertucho: eles xingam o tempo todo e depois dizem “o outro é que apela”.

Alguns agem por pura e simples má-fé, outros por questões de trabalho, mas há aqueles que REALMENTE não aceitam alguém pensando de forma diferente. Simplesmente não aceitam, não concebem, não acreditam que seja verdade.

São os mimados ideológicos, que atribuem todo tipo de explicação desabonadora para tentar explicar o ABSURDO de alguém ter idéias divergentes. É o tal “leite com pera” aplicado ao pensamento partidário.

E Plínio falou besteira? Não, não falou. Enquanto o STF condena líderes petistas, o partido mais uma vez deixa de expulsá-los para ATACAR O STF. Todo partido tem trambiqueiro, isso é óbvio, o problema é o que fazer com eles depois de condenados. O PT, como se vê, os promove.

Acerca do tal plano de poder, que parece mesmo um exagero, há esse vídeo ilustrativo, com depoimentos reais. Pois é, Plínio não errou também quanto a isso.

Fica provado mais uma vez quem de fato faz campanha suja, ofensiva e de ataques pessoais. Algo parecido aconteceu – e acontece – com Joaquim Barbosa, que “ousou” condenar (acompanhado da grande maioria do STF) os corruptos do PT.

São os petistas que xingam. São eles que agridem. São eles que trazem à baila idade, cor da pele etc. E são eles que, no fim das contas, acusam os adversários de serem “agressivos”.

Acho que ninguém cai mais nessa, né?

ps – os que agora xingam Plínio são os mesmos que prosseguem defendendo o PT mesmo depois da COLIGAÇÃO (que não é mero apoio, vale sempre lembrar) com Paulo Maluf – que apoiou o partido depois de ganhar uma secretaria do governo federal.

ps2 – nada contra fazer piada com isso ou aquilo (eu mesmo fiz e faço várias); o problema aqui, e é bom ficar claro, reside no fato de INSULTAR alguém por emitir opinião político-partidária diferente – sobretudo quando quem o faz são os que acusam os adversários de baixaria.