Moradores de conjunto popular instalam portão de segurança, mas governo exige retirada

Este episódio serve para retratar de forma inequívoca o absurdo da burocracia estatal brasileira, e do quanto nossas leis e regulamentos são atrasados e contrários ao interesse da população. Para além disso, também deixa claro que esse tipo de coisa afeta muito mais aqueles com menos condições financeiras.

É o que acontece agora em Porto Alegre.

A Secretaria Municipal de Obras e Viação (SMOV) de Porto Alegre exigiu a retirada de portões de segurança instalados pelos moradores de conjuntos residenciais populares (São Francisco, São Francisco de Assis e São Francisco de Paula). Sim, eles pagaram DOS PRÓPRIOS BOLSOS, mas agora terão de arrancar os portões.

Os conjuntos, quando foram entregues pela própria prefeitura, vieram apenas com cancelas, não protegendo os moradores dos riscos óbvios referentes à segurança pública. Desse modo, e como a rua envolvida na operação, José Barcelos Garcia, atende aos próprios condomínios (começa em um, termina no outro), os moradores instalaram portões – repita-se: pagando por isso.

Mas nada feito. O poder público, como é comum, agora exige a retirada.

Um absurdo.

Quarta colocada na presidencial, Luciana Genro terminou a eleição para prefeito em quinto

25.07.2007 - Deputada Luciana Genro lendo o jornal O Globo. Foto: Marcello Casal JR/ABr

Engana-se quem acha que o impeachment de Dilma Rousseff atingiu apenas o PT, e o voto petista migraria para as linhas auxiliares. A ideia ganhou corpo depois do desempenho de Luciana Genro na eleição para presidente em 2014. Com o Petrolão dando cada vez mais as caras no noticiário, a psolista findou herdando boa parte do “voto crítico” no governo – uma forma que alguns esquerdistas encontraram de dizer que faziam oposição àquela roubalheira, coisa que o segundo turno desmentiria.

Genro saiu da disputa em quarto lugar, com 1,6 milhão de votos. E achou que isso a qualificaria para gerir Porto Alegre dois anos depois. Ledo engano.

Depois de iniciar a disputa liderando as pesquisas, foi perdendo apoio, terminou numa amarga quinta colocação, com apenas 86 mil votos.

Se depender dos números de 2016, o PSOL não será o próximo PT.

Não foi só no Rio: em Porto Alegre, o candidato também caiu na pesquisa após apoio de Dilma

Dilma Rousseff não tem dado muito as caras nessa campanha. E, onde apareceu, não ajudou muito. Em Porto Alegre, Raul Pont, candidato a prefeito pelo PT, passou a exibir depoimento da presidente cassada pedindo voto a ele. Uma semana depois, o petista caiu 2% na disputa, enquanto o principal rival cresceu 9%.

Fenômeno semelhante ocorrera com Jandira Feghali, no Rio de Janeiro. Antes da ajuda de Dilma e de Lula, ela caminhava na direção do segundo turno, Após, caiu para quarto lugar já em empate com o quinto.

O fenômeno é tão real que até Fernando Haddad está hesitando em colocar Lula no seu programa eleitoral.

O Brasil de fato é outro após o impeachment de Dilma.

Apenas dois “fãs” esperavam por Dilma na frente de seu prédio em Porto Alegre

Sob Dilma Rousseff, como já relembramos, o desfile de 7 de setembro não tinha povo; ao contrário, ergueram um “muro da vergonha” para que as pessoas não se aproximassem.

Pois bem: ao menos pelos sinais recentes, talvez tais medidas sejam desnecessárias, já que os “fãs” são tão poucos. Soma-se a isso o verdadeiro fiasco que foi a manifestação do dia 07/09, temos um quadro pouco louvável para a presidente impichada.

Enfim, Dilma foi recebida apenas por um casal de “fãs” na frente de seu prédio. Sim, duas pessoas. No aeroporto, a contagem seria de 80, mas curiosamente resolveram CANCELAR uma recepção que tinha sido preparada. Por que será, não é mesmo?

É mole? Com essa popularidade toda, mesmo em sua terra natal (na verdade, ela é de BH, mas Porto Alegre é seu domicílio de origem política), a coisa parece um pouco mais complicada do que se presumia.

Candidato do PT à prefeitura de Porto Alegre espera que eleitor não foque no partido

As eleições municipais serão atípicas, especialmente para o Partido dos Trabalhadores, que detém o recorde de rejeição. Como já mencionamos por aqui, alguns dirigentes evitarão falar de impeachment e não querem muita proximidade com Lula e Dilma. Aliás, a própria Dilma também já tenta descolar-se do PT.

Que fase!

Soma-se a isso num novo e interessantíssimo fato. Raul Pont (PT/RS), pré-candidato à Prefeitura de Porto Alegre, disse o seguinte: “A gente espera que o voto partidário vai ser secundarizado diante do candidato e da candidata

E isso foi publicado no site do próprio PT (é mole?), com o seguinte introito: “Segundo o pré-candidato, as eleições na cidade serão marcadas por um voto no indivíduo e não em partidos.

Fica clara a estratégia, não é mesmo?

Raul Pont - PT - Porto Alegre
Raul Ponte (em pé na foto), pré-candidato do PT em Porto Alegre/RS, espera que o eleitor não vote pensando no partido. Compreensível.

E a coisa se torna ainda mais escalafobética quando, NO MESMO TEXTO, ele diz que sua candidatura é “contra o golpe” e ataca Luciana Genro, por ela ter apoiado o impeachment (se alguém duvida, está aqui o post original com tudo isso).

Em suma: para a militância de esquerda, a campanha é 100% nacional e ideologizada, mas para o resto do eleitorado (tradicionalmente, 99,999% das pessoas) ele pretende focar no “indivíduo”.

Sim, socialista pregando os valores individuais. Tempos interessantes.

Resta saber se os eleitores cairão nessa conversa-mole. Arriscamos um palpite: não, eles não caem. E torcemos para que seja assim.

Leia também: Rejeição total: um quinto dos prefeitos do PT sai do partido em SP

Para Dilma, é “um escândalo” não poder voar com jatinhos da FAB

Dilma Roussef - Farmacia Popular - Foto Ueslei Marcelino Reuters

Essa é inacreditável até para os padrões já exagerados de Dilma Rousseff. Se não fosse algo postado em seu perfil oficial, até quem já viu o pior duvidaria. Lembrando que há poucos dias foi revelado que para CADA corte de cabelo eram gastos R$ 5 mil – e adivinha de onde vinha o dinheiro?

Mas vamos ao fato de agora: ela foi proibida de fazer viagens pelo país às custas do dinheiro do contribuinte e com jatinhos da FAB, podendo apenas fazer o percurso Brasília – Porto Alegre, já que é a cidade onde reside sua família. Quer ir para outro lugar? Então pague.

Quê? Tá doido! Ficou brava! Não aceitou isso, não! Vejam o que ela postou a respeito. Já começa com o título exageradamente equivocado, com boa dose da arrogância peculiar:

EU VOU VIAJAR
Houve uma decisão da Casa Civil ilegítima, provisória e interina, cujo objetivo é proibir que eu viaje. É um escândalo que eu não possa viajar para o Rio, para o Pará, para o Ceará… Isso é grave. Eu não posso, como qualquer outra pessoa, pegar um avião (comercial). Tem de ter todo um esquema garantindo a minha segurança, pela Constituição. É a Constituição que manda. Estamos diante de uma situação que vai ter de ser resolvida. Eu vou viajar!

Se alguém duvida, aqui tá o link do original.

Querida, isso é um impeachment, não a festa do caqui!

Enfim, Dilma já foi tarde e, se tudo correr bem, não volta nunca mais.

Governador do RS é condenado em ação de improbidade

812128-9037-cp2

Matéria da Folha de S. Paulo:

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), foi condenado em primeira instância em uma ação de improbidade administrativa relacionada ao período em que foi prefeito de Porto Alegre.

Com a decisão, da qual cabe recurso, Tarso deve pagar uma multa de R$ 10 mil e terá seus direitos políticos suspensos por cinco anos a partir do momento em que não for possível mais recorrer.

A ação questionava a regularidade da contratação temporária de médicos, enfermeiros e auxiliares de enfermagem pelo município entre 1993 e 2002.

A juíza Vera Moraes considerou que as contratações violaram “princípios constitucionais” que estabelecem a admissão via concurso público. Para ela, o que era para ser uma “excepcionalidade” foi usada de maneira rotineira ao longo de vários mandatos.

Também foram condenados os ex-prefeitos petistas Raul Pont (1997-2000) e João Verle (2002-2004), o hoje deputado federal Henrique Fontana (PT-RS), à época secretário da Saúde, e outros dois ex-secretários.

A sentença foi expedida no dia 19 de dezembro, mas só agora foi divulgada.

(…)

(grifos nossos)

A tragédia em Santa Maria e seus aproveitadores

incendio-boate-kiss-santa-maria

Um incêndio na boate Kiss, em Santa Maria (RS) nessa madrugada fez o Brasil acordar mais triste. Com um número de mortos confirmados passando das duas centenas, a tragédia, que teve repercussão internacional, já é considerada a maior do Rio Grande do Sul e contabilizou o maior número de mortos do Brasil em meio século, superando desastres aéreos e incêndios como o do edifício Joelma.

Com ainda mais de uma centena de vítimas hospitalizadas, é um certo alento ver a mobilização movida nas redes sociais em busca de doações de sangue (centenas foram pisoteados), remédios, água mineral e alimentos.

O incêndio se iniciou quando o cantor de uma das bandas disparou um sinalizador para o teto, fazendo com que o fogo se espalhasse pela espuma e se tornasse incontrolável. Seguranças, acreditando tratar-se de uma briga, barraram a saída exigindo comanda para liberar a saída, além das portas terem sido mantidas fechadas por alguns fatais minutos por funcionários.

No momento era organizada a festa “Agromerados”, reunindo estudantes da UFSM (Universidade Federal de Santa Maria) dos cursos de Agronomia, Medicina Veterinária, Tecnologia de Alimentos, Zootecnia, Tecnologia em Agronegócio e Pedagogia. Como também é comum nas redes sociais, grupos universitários preocupados com a vida e a segurança, mesmo desconhecidos e de outras regiões, prestaram seu apoio e solidariedade aos distantes colegas.

ufrgs_santamaria

Por outro lado, não foram todos que acordaram tristes com tal notícia. O sentimento do DCE Livre da UFRGS não foi o mesmo de todos os grupos atuantes em Universidades. Enquanto alguns se abalaram e se chocaram com a tragédia, alguns carniceiros que não perdem a oportunidade de perder uma oportunidade aproveitaram-se de centenas de corpos recolhidos no auge de suas capacidades para obter dividendos políticos, insensíveis à dor das vítimas e familiares.

No grupo de Letras da USP no Facebook, um gabaritadíssimo intelectual garantindo o melhor futuro para o país postou a seguinte obra de arte.

letrasusp_santamaria

Infelizmente, não é exagero dizer que há doentes na USP que, para se tornarem assassinos, só precisam descobrir como se safar da punição. Ao se ver centenas de mortos, ao invés de se preocupar em auxiliar, em prestar solidariedade, em divulgar formas de ajuda e mobilização a quem pode ajudar em seu lugar, há sempre algum totalitário de plantão pregando contra o sistema que lhe garantiu a vida e toda a sua riqueza, jurando que tudo estaria melhor se todo o poder estivesse concentrado em poucas mãos preocupadas com o bem-estar das grandes massas (e nem é preciso perguntar se prefere ser das grandes massas ou das poucas mãos).

Mais uma vez, é lamentável ver o que alguns universitários, incapazes de entender algo sobre Agronomia, Veterinária ou Tecnologia de Alimentos (na verdade, carniceiros capazes de escrever: “Os valores associados (certo/errado) da lingua, decorrem [sic] de circunstâncias sociológicas e não linguistico.” [sic]), pensam sobre outros seres humanos que perderam a vida aos montes em um incêndio: apenas combustível para alimentar ânimos para a sua revolução. Nunca há nenhuma palavra sobre os milhões de mortos em campos de concentração socialistas – em verdade, seu comportamento é negar, ou ainda comemorar o maior genocídio da história mundial.

Tampouco há uma palavra de alento sobre as portas fechadas de Cuba, sobre quantos morreram afogados ou comidos por tubarões tentando escapar do “outro mundo possível” que pregam. Quando Marilena Chaui afirmou que São Paulo é proto-fascista, esqueceu-se apenas de delimitar que apenas os rebentos de sua própria faculdade tratam vidas humanas como gado para favorecer seu partido.

A todos os estudantes universitários e que conhecem os mimadinhos de DCE do Oiapoque ao Chuí: é com esse tipo de facínora que organizam greves, piquetes, depredações e agressões no campus – mas estão pouco preocupados em ajudar se não for para conseguir colocar seu partido no poder. Algo mais baixo do que se aproveitar de uma tragédia para promover um time de futebol ou estilo musical.

Como a USP anda mais famosa com isso do que por qualquer outro motivo, é preciso sempre refrisar: débeis desse porte não representam os verdadeiros estudantes da USP, que prestam toda a sua solidariedade aos colegas da UFSM e acordaram em choque com a notícia. Antes de tentar criticar um sistema, buscar culpados (deixemos o trabalho para a polícia e o Ministério Público), as pessoas co preocupação verdadeira ao próximo estão preocupadas em oferecer auxílio às vítimas e prestar solidariedade como podem.

Dilma_SantaMariaMesmo a presidente Dilma Rousseff cometeu um ato desnecessário, como mostrou o Coroneleaks. Ao invés de “blogueiros” a soldo de dinheiro de estatais, o Coronel foi o primeiro a defender corretamente que Dilma fez bem em ir a Santa Maria prestar suas condolências às vítimas e familiares em um momento tão doloroso. Entretanto, não teve pudor em tirar uma foto absolutamente desnecessária em pose de protetora (o que nem é defeito de sua função não o ser) e liberá-la eleitoralmente para estampar todos os jornais de amanhã. Infelizmente, tanto Dilma quanto Tarso Genro (natural de Santa Maria) são incapazes de todo de algo que poderia melhorar a situação de casas noturnas funcionando sem alvará: melhorar a burocracia necessária (na verdade, em sentido factual, desnecessária) para se manter um estabelecimento comercial em funcionamento e em verdadeira segurança, sem criar uma máfia de alvarás que só dá sensação de segurança (e dinheiro recolhido) ao próprio governo. Vide o excelente artigo de André Barcinski na Folha.

Quem puder, doe sangue e o que mais for preciso a Santa Maria (são coisas baratas, mas de difícil transporte). Há ainda mais de uma centena de vítimas em estado não divulgado. O Brasil e as pessoas que acreditam no valor da vida humana acordam de luto e prestam sua homenagem e seus sentimentos às vítimas, familiares e amigos do sul.