Mais um recorde negativo do governo Dilma: nunca se sacou tanto dinheiro da poupança

Foto: Dave Dugdale from Superior, USA

Só em setembro, os brasileiros sacaram mais de R$ 5 bilhões. No acumulado de 2015, já são R$ 53,79 bilhões a menos nas reservas mais seguras que o Brasil conhece. Trata-se de um recorde (negativo) para a série histórica iniciada há 20 anos. Se a crise ainda não chegou de forma mais avassaladora em muitos lares brasileiros, é porque ainda há algum trocado estocado por algumas famílias. Mas, assim como há apenas um ano não havíamos conhecido o desemprego, nesse ritmo, não há de tardar o dia em que essa fonte também secar.

Foto: Dave Dugdale from Superior, USA
Leia também | Em mais um ato de desespero, governo vai ao STF para adiar análise das contas de Dilma

 

Poupança renderá abaixo da inflação pela primeira vez desde 2002

Os efeitos da política econômica de Dilma são de assustar. Enquanto a previsão da inflação para 2015 já se aproxima dos 10%, a caderneta de poupança trará um retorno de apenas 8%. Em outras palavras, até mesmo o investimento mais seguro do Brasil trará prejuízo a quem deixar o dinheiro parado no banco. Desde 2002, o país não vivia uma situação dessas. Naquele ano, tanto o mercado nacional quanto o internacional temiam o que poderia ocorrer com a economia caso Lula vencesse as eleições. E a crise só foi superada quando FHC costurou com todos os 4 candidatos um acordo para que se comprometessem com o Plano Real. No caso do PT, lançaram como garantia a tal “Carta ao Povo Brasileiro”.

foto: Pedro Ladeira / Folhapress
Leia também | PSDB e PMDB já discutem como trabalharão num governo Temer

Para mais informações:
Caderneta de poupança terá neste ano a primeira perda real desde 2002