MEC contratará auditoria para avaliar gastos dos programas nas gestões petistas

A administração pública consiste basicamente na gestão da estrutura estatal, que por sua vez é movida pelo dinheiro arrecadado com impostos. Assim, essa verba é empregada também em programas os mais diversos, além do pagamento de funcionários e das despesas correntes.

O problema é que, no Brasil, parece não haver a cultura da fiscalização retroativa. Chegava-se a desconfiar até de “pacto tácito”, pois governos assumiam sem que os gastos passados fossem postos sob avaliação.

Pois pelo visto isso acabou.

O Ministério da Educação contratará auditoria externa para avaliar os programas das gestões petistas.

A explicação oficial é a de um estudo da eficiência. Mas por óbvio, considerando que a avaliação abarcará todos os gastos, o efeito prático será também o de uma fiscalização de tudo. E será interessante acompanhar o que vai surgir.