Justiça pune PT pela propaganda eleitoral “gratuita” defendendo Lula

PT - TRE SP - perda de minutos - Lula - Foto Nelson Almeida AFP

Entre fevereiro e março de 2016, já com a água batendo na cintura de seu grande líder messiânico, o Partido dos Trabalhadores achou por bem usar seu tempo de propaganda eleitoral “gratuita” para fazer um programa em defesa do supremo líder Lula.

Ocorre que, segundo a justiça eleitoral, isso fere a legislação. Por isso, o partido foi punido em 12,5 minutos, que serão descontados de seus programas em cadeia de rádio e TV.

Não é muita coisa, claro que poderia ser maior, mas ainda assim é um alento ter alguns minutos a menos de PT.

Além disso, caso façam novamente algo do tipo, esta decisão serve de precedente e a punição poderá ser ainda maior.

Por fim, não existe isso de propaganda grátis. Há reembolsos, há fundos partidários etc. etc. etc. Nada é de graça. E, nesse caso (como em quase todos os outros), nós que pagamos.

TSE veta propaganda de Dilma atacando Aécio

Do G1:

B0GojfiCIAAnao_

O Tribunal Superior Eleitoral decidiu que as propagandas eleitorais gratuitas de rádio e TV não podem servir para “atacar” o candidato adversário. A decisão ocorreu durante o julgamento de um pedido da coligação de Aécio Neves, para que fosse suspensa propaganda de rádio de Dilma Rousseff. A propaganda, veiculada no rádio em 15 de outubro, traz o depoimento de uma ex-presidente do sindicato dos jornalistas de Minas Gerais, em que acusa o candidato do PSDB de “ameaçar” o emprego de profissionais que publicavam reportagens críticas ao governo de MG. O TSE entendeu que o horário eleitoral tem o objetivo de apresentar propostas ao eleitor e não servir para ataques.

TSE nega pedido de Dilma para retirar propaganda eleitoral do PSDB do ar

Da Veja:

Screen Shot 2014-10-14 at 18.54.58

O ministro Tarcisio Vieira, do Tribunal Superior Eleitoral, negou o pedido da campanha de Dilma Rousseff (PT) e permitiu que a equipe de Aécio Neves (PSDB) continue a mostrar na propaganda eleitoral a “sugestão” feita por Márcio Holland para que a população troque carne por ovos e assim se proteja da inflação. Tentando conter o prejuízo, Dilma classificou a declaração como “extremamente infeliz” e o vice-presidente, Michel Temer, disse que na gestão do PT a população pobre passou a consumir iogurte e chocolate. Para o TSE, o PT não tem direito de resposta, pois este recurso só se aplica quando “for possível extrair, da afirmação apontada como sabidamente inverídica, ofensa de caráter pessoal a candidato, partido ou coligação”.

Diferente do que mostra propaganda do PT, concentração de renda aumentou nos últimos anos

Do blog de Ricardo Noblat:

dilma

Um estudo mostra uma realidade bem diferente da mostrada pelo PT na campanha eleitoral de Dilma Rousseff. O documento mostra que a concentração de renda aumentou no Brasil entre 2006 e 2012. Dados do Imposto de Renda mostram que os 5% mais ricos no país detinham, em 2012, 44% da renda. Em 2006, esse percentual era de 40%. O 1% mais rico também aumentou: passou de 22,5% da renda em 2006 para 25% em 2012.

Dilma toma para si iniciativa criada no governo de FHC

Da Folha de S.Paulo:

Dilma-Rousseff3

O aumento das verbas para a saúde que aparece na propaganda eleitoral de Dilma Rousseff é na verdade uma iniciativa criada no governo Fernando Henrique Cardoso. No programa de rádio da presidente, é informado que em 2002, o orçamento da saúde era de R$ 24 bilhões e agora é de R$ 91 bilhões, “um aumento de 97,7% acima da inflação no período”. A ampliação orçamentária é efeito de uma emenda à Constituição aprovada em 2000, segundo  a qual os recursos federais destinados à saúde devem ser corrigidos anualmente conforme a variação do PIB.