Temer comemora: maioria do TSE tende a não admitir como prova as delações da Odebrecht

Temer comemora: maioria do TSE tende a não admitir como prova as delações da Odebrecht

A questão mais crucial do julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE consiste na admissão dos depoimentos dos diretores da Odebrecht, e também dos marqueteiros da campanha, como prova válida para o caso concreto. E por enquanto, segundo noticia a Veja, a tendência é de que não sejam admitidos.

O placar seria de quatro a trés, respectivamente: Gilmar Mendes, Napoleão Nunes Maia, Admar Gonzaga e Tarcisio Vieira de carvalho; Herman Benjamin, Luix Fux e Rosa Weber.

Sem tais depoimentos, os magistrados deverão decidir APENAS diante das outras provas, o que abre caminho para uma vitória da chapa, dando fôlego político a Michel Temer e tornando ainda mais distante a ideia de que se afaste da Presidência.

Resta saber qual será o fundamento jurídico para não admitir tais provas, já que lá estão e dizem muito claramente o que houve.